… Mas o melhor de tudo é crer em Cristo! Luís Vaz de Camões (c. 1524 — 1580)

segunda-feira, 3 de outubro de 2016

3 de outubro

Oswald Chambers 
My Utmost for His Highest
3 de outubro O LUGAR DO MINISTÉRIO

“E disse-lhes: Esta casta [de espírito imundo] não pode sair com coisa alguma, a não ser com oração e jejum.” (Mc 9:29, ARC, Pt)

“Os Seus discípulos Lhe perguntaram à parte: Por que o não pudemos nós expulsar?” (Mc 9:28, ARC, Pt). A resposta encontra-se num relacionamento pessoal com Jesus Cristo. “Esta casta não pode sair com coisa alguma, a não ser” pela concentração nEle e, em seguida, dobrando e redobrando essa concentração nEle. Podemos permanecer para sempre impotentes, como os discípulos estavam nesta situação, tentando fazer a obra de Deus, sem uma concentração no Seu poder, e seguindo, em vez disso, com as ideias que extraímos da nossa própria natureza. Na realidade, nós caluniamos e desonramos a Deus pela nossa própria ânsia de O servir sem O conhecer.

Quando és colocado face a face com uma situação difícil e nada acontece exteriormente, ainda podes saber que a liberdade e o alívio te serão dados por causa da tua concentração contínua em Jesus Cristo. O teu dever no serviço e no ministério é providenciar para que não haja nada entre Jesus e ti. Existe qualquer coisa entre ti e Jesus, agora mesmo? Se houver, deves dissipar isso, não o ignorando como uma irritação, ou ires ao ar ou passares por cima disso, mas enfrentando-o e suportando-o na presença de Jesus Cristo. Então, esse mesmo problema, e tudo o que já suportaste em ligação com ele, glorificará Jesus Cristo de uma maneira que nunca tu saberás até que tu O vejas face a face.

Devemos ser capazes de “subir com asas como águias” (Is 40:31, ARC, Pt), mas também devemos saber como descer. O poder do santo está em descer e saber viver no vale. Paulo disse: “Posso todas as coisas, naquele [Cristo] que me fortalece” (Fl 4:13, ARC, Pt), e ao que ele se estava referindo eram na sua maioria coisas humilhantes. E ainda temos a faculdade de recusar sermos humilhados e de dizer: “Não, obrigado, eu prefiro muito mais estar no cume da montanha com Deus.” Posso eu enfrentar as coisas como elas realmente são, à luz da realidade de Jesus Cristo, ou deixo que as coisas como elas realmente são, destruam a minha fé nEle, e me sobrecarreguem de pânico?


Tradução de Carlos António da Rocha

****

Esta tradução é de livre utilização, desde que a sua ortografia seja respeitada na íntegra porque já está traduzida no Português do Novo Acordo Ortográfico e que não seja nunca publicada nem utilizada para fins comerciais; seja utilizada exclusivamente para uso e desfruto pessoal.

Sem comentários: