… Mas o melhor de tudo é crer em Cristo! Luís Vaz de Camões (c. 1524 — 1580)

quarta-feira, 5 de outubro de 2016

5 de outubro

C. H. Spurgeon
Livro de Cheques do Banco da Fé
5 de outubro
“E o remanescente de Jacob estará no meio de muitos povos, como orvalho da parte do SENHOR, como chuvisco sobre a erva, que não espera pelo homem, nem a filhos de homens.” (Miquéas 5:7, ARC, Pt)

Se isto é verdadeiro acerca do Israel terrestre, muito mais gloriosa, porém, é a verdade que diz respeito ao Israel espiritual, ao povo crente em Deus. Quando os santos são o que devem ser servem então de bênção incalculável para aqueles entre os quais estão espalhados.

São como o orvalho, porquanto de uma forma tranquila e discreta refrescam os que estão ao seu redor. Silenciosa mas eficazmente ministram à vida, ao crescimento, e ao gozo dos que habitam com eles. Caídos frescos do céu, reluzentes como diamantes ao Sol, homens e mulheres agraciados cuidam dos fracos e aos insignificantes até que cada pé de erva obtenha a sua própria gota de orvalho. São pequenas estas gotas, é verdade, porém unidas são mais do que suficientes para os propósitos do amor, que o SENHOR cumpre por intermédio delas. As gotas de orvalho conseguem refrescar vastas extensões de terreno. SENHOR, faz-nos como o orvalho!

As pessoas piedosas são como as chuvas que caem por ordem de Deus, sem permissão ou licença do homem. Trabalham para Deus, quer os homens o desejem quer não; não procures, como as chuvas, permissão humana. SENHOR, torna-nos intrépidos e livres no Teu serviço, onde quer que a nossa sorte seja achada.



Tradução de Carlos António da Rocha

****

Esta tradução é de livre utilização, desde que a sua ortografia seja respeitada na íntegra porque já está traduzida no Português do Novo Acordo Ortográfico e que não seja nunca publicada nem utilizada para fins comerciais; seja utilizada exclusivamente para uso e desfruto pessoal.

Sem comentários: