… Mas o melhor de tudo é crer em Cristo! Luís Vaz de Camões (c. 1524 — 1580)

quarta-feira, 5 de outubro de 2016

5 de outubro


Oswald Chambers 
My Utmost for His Highest
5 de outubro A NATUREZA DA DEGENERAÇÃO

“Pelo que, como por um homem entrou o pecado no mundo, e pelo pecado a morte, assim, também, a morte passou a todos os homens, por isso que todos pecaram…” (Rm 5:12, ARC, Pt)

A Bíblia não diz que Deus puniu a raça humana pelo pecado de um só homem, mas que a natureza do pecado, isto é, a minha reivindicação dos meus direitos sobre mim mesmo entrou na raça humana por causa de um homem. Porém, ela também diz que outro homem tomou sobre Si o pecado da raça humana e o aniquilou— o que é uma revelação infinitamente mais profunda (ver Hebreus 9:26). A natureza do pecado não é a imoralidade e a injustiça, mas a natureza da auto-realização que nos leva a dizer: “Eu sou o meu próprio Deus.” Essa natureza pode manifestar-se em moralidade decorosa ou em imoralidade indecorosa, mas tem sempre uma base comum— a minha reivindicação aos meus direitos sobre mim mesmo. Quando o nosso Senhor enfrentou, quer as pessoas com todas as forças do mal nelas, quer as pessoas que possuíam vida limpa, moral e justa, Ele não prestou atenção à degradação moral de umas, nem tão-pouco prestou qualquer atenção ao cumprimento moral das outras. Ele viu alguma coisa que nós não vemos, isto é, a natureza do homem (ver João 2:25).

O pecado é algo com que eu nasci e que eu não posso afetar — somente Deus pode afetar o pecado por intermédio da redenção. É por meio da Cruz de Cristo que Deus redimiu toda a raça humana da possibilidade de condenação devida à hereditariedade do pecado. Em parte alguma, Deus tem uma pessoa como responsável por ela ter a hereditariedade do pecado, e não condena a alguém por causa disso. A condenação vem quando eu compreendo que Jesus Cristo veio para me livrar dessa herança do pecado, e, além disso, eu me recuso a deixá-Lo fazer isso. É a partir desse momento que eu começo a receber o selo da condenação. “E a condenação [e o momento crítico] é esta: Que a luz veio ao mundo, e os homens amaram mais as trevas do que a luz ...” (Jo 3:19, ARC, Pt).


Tradução de Carlos António da Rocha

****

Esta tradução é de livre utilização, desde que a sua ortografia seja respeitada na íntegra porque já está traduzida no Português do Novo Acordo Ortográfico e que não seja nunca publicada nem utilizada para fins comerciais; seja utilizada exclusivamente para uso e desfruto pessoal.

Sem comentários: