… Mas o melhor de tudo é crer em Cristo! Luís Vaz de Camões (c. 1524 — 1580)

sexta-feira, 7 de outubro de 2016

7 de outubro


C. H. Spurgeon
Leituras Vespertinas
7 de outubro
“Em quem, pois, agora, confias?” (Is 36:5, ARC, Pt)

LEITOR, esta é uma pergunta importante. Escuta a resposta do Cristão e vê se ela é a mesma que a tua. “Em quem, pois, agora, confias?” “Eu confio”, diz o Cristão, “Num Deus trino e uno. Confio no Pai, crendo que Ele me escolheu antes da fundação do mundo. Confio nEle para que, na Sua providência, me proveja o necessário, para que me ensine, para que me guie, para que me corrija, se for necessário, e para que me leve para a Sua casa, onde há muitas mansões. Creio no Filho. O homem Jesus Cristo é verdadeiro Deus, de Deus verdadeiro. Confio nEle para que tire todos meus pecados pelo Seu sacrifício, e para que me adorne com a Sua perfeita justiça. Confio nEle para que seja o meu Intercessor, para que presente diante do trono de Seu Pai as minhas orações e desejos, e confio nEle para que seja o meu Advogado no último grande dia, para que defenda a minha causa e me justifique. Confio n’Ele por aquilo que Ele é, confio nEle pelo que Ele tem feito e pelo que Ele ainda prometeu fazer. E confio no Espírito Santo. Ele começou a livrar-me dos meus pecados inatos; confio nEle para os expelir a todos eles; confio nEle para que domine o meu temperamento, para que submeta a minha vontade, para que ilumine o meu entendimento, para que reprima as minhas paixões, para que reconforte os meus desânimos, para que me ajude na minha fraqueza e para que ilumine as minhas trevas. Confio nEle para que viva em mim, como minha vida; para que reine em mim, como meu Rei; para que me santifique completamente: espírito, alma e corpo e, depois, me leve para viver com os santos em luz para sempre.”

Oh, bem-aventurada confiança! Confiar nEle, em Alguém cujo poder nunca ficará exausto, cujo amor nunca diminuirá, cuja bondade nunca mudará, cuja fidelidade nunca falhará, cuja sabedoria nunca será confundida e cuja perfeita bondade nunca conhecerá uma diminuição! Feliz és tu, leitor, se esta é a tua confiança! Assim confiando, tu gozarás de doce paz agora, e, da glória depois, e o fundamento da tua confiança nunca será removido.


Tradução de Carlos António da Rocha

****

Esta tradução é de livre utilização, desde que a sua ortografia seja respeitada na íntegra porque já está traduzida no Português do Novo Acordo Ortográfico e que não seja nunca publicada nem utilizada para fins comerciais; seja utilizada exclusivamente para uso e desfruto pessoal.

Sem comentários: