… Mas o melhor de tudo é crer em Cristo! Luís Vaz de Camões (c. 1524 — 1580)

domingo, 9 de outubro de 2016

9 de outubro



C. H. Spurgeon
Livro de Cheques do Banco da Fé
9 de outubro
“Também o sacerdote porá daquele sangue sobre as pontas do altar do incenso aromático, perante o SENHOR que está na tenda da congregação; e todo o restante do sangue do novilho derramará à base do altar do holocausto, que está à porta da tenda da congregação.” (Lv 4:7, ARC, Pt)

O altar do incenso é o lugar onde os santos apresentam as suas orações e louvores; e é muito agradável pensar que ele foi aspergido com o sangue do grande Sacrifício. Isto é o que o torna aceitável diante de Jeová toda a nossa adoração: Ele vê o sangue do Seu próprio Filho, e por isso aceita a nossa homenagem.

É bom para nós que fixemos os nossos olhos no sangue da única oblação pelo pecado. O pecado mistura-se até com as nossas coisas santas, e o nosso melhor arrependimento, e fé, e oração e ação de graças não poderiam ser recebidos por Deus se não fosse pelo mérito do sacrifício expiatório. Muitos riem-se d’ “o sangue”; porém, para nós, ele é o fundamento do consolo e da esperança. Isso que está sobre as pontas do altar tem o propósito de estar bem à vista, diante dos nossos olhos, quando nos aproximamos de Deus. O sangue dá fortaleza à oração, e por isso está sobre as pontas do altar. Está “perante o SENHOR”, e por isso ele deve estar diante de nós. Está sobre o altar, antes que tragamos o incenso; ele está ali para santificar as nossas oferendas e dons.

Vinde, oremos com confiança, porquanto a Vítima foi oferecida, o Seu mérito foi apresentado como desculpa, o sangue está atrás do véu, e as orações dos crentes devem ser de aroma agradável ao SENHOR.



Tradução de Carlos António da Rocha

****

Esta tradução é de livre utilização, desde que a sua ortografia seja respeitada na íntegra porque já está traduzida no Português do Novo Acordo Ortográfico e que não seja nunca publicada nem utilizada para fins comerciais; seja utilizada exclusivamente para uso e desfruto pessoal.

Sem comentários: