… Mas o melhor de tudo é crer em Cristo! Luís Vaz de Camões (c. 1524 — 1580)

segunda-feira, 31 de outubro de 2016

31 de outubro


C. H. Spurgeon

Livro de Cheques do Banco da Fé

31 de outubro

“Não morrerei, mas viverei; e contarei as obras do SENHOR.” (Sl 118:17, ARC, Pt)


Quão perfeita é esta confiança! Sem dúvida foi fundada sobre uma promessa, sussurrada ao coração do Salmista, que dela se apossou e na qual se alegrou. É o meu caso parecido ao de David? Estou desanimado porque o inimigo triunfa sobre mim? Há multidões contra mim, e poucos ao meu lado? Por causa da minha incredulidade fico abatido e morro no desespero, qual homem vencido e desacreditado? Os meus inimigos começam a cavar a minha sepultura?

Que vou fazer? Cederei ao murmúrio do temor e abandonarei a batalha, e com isso a toda a esperança? Longe esteja disso. Ainda tenho vida: “Não morrerei.” O vigor voltará e fará desaparecer a minha debilidade: “Viverei.” O SENHOR vive e eu também viverei. A minha boca abrir-se-á de novo: “Contarei as obras do SENHOR.”

Sim, e falarei desta presente preocupação como outro exemplo das maravilhas realizadas pela fidelidade e o amor do SENHOR, meu Deus. Os que desejam ver-me enterrado terão de esperar um pouco; porque “o SENHOR castigou-me muito, mas não me entregou à morte.” Aleluia! Glória seja dada ao Seu Nome eternamente! Sou imortal até que haja terminado o meu trabalho. Até que o SENHOR ordene, nenhuma sepultura me poderá receber.


Tradução de Carlos António da Rocha

****

Esta tradução é de livre utilização, desde que a sua ortografia seja respeitada na íntegra porque já está traduzida no Português do Novo Acordo Ortográfico e que não seja nunca publicada nem utilizada para fins comerciais; seja utilizada exclusivamente para uso e desfruto pessoal.

Sem comentários: