… Mas o melhor de tudo é crer em Cristo! Luís Vaz de Camões (c. 1524 — 1580)

terça-feira, 4 de outubro de 2016

4 de outubro


William MacDonald
Um dia de cada vez
4 de outubro
“Desvia os meus olhos de contemplarem a vaidade.” (Sl 119:37, ARC, Pt)

As palavras desta breve oração são especialmente apropriadas quando se aplicam à televisão. A maioria dos programas de televisão são vaidade. Descrevem um mundo que não existe e uma vida que está muito longe da realidade.

A televisão é um ladrão de tempo precioso. Os que a vêem esbanjam horas que nunca poderão recuperar. De maneira geral, a televisão causou uma diminuição na leitura da Bíblia, apagando assim a voz de Deus e esfriando a temperatura espiritual dos telespectadores sem que estes se dêem conta.

São bem conhecidos os efeitos daninhos da televisão nas crianças. Os seus conceitos morais corrompem-se porque ela elogia a violência, deforma o sexo e publicita a pornografia. A educação das crianças padece, já que não resta tempo livre, nem vontade para ler ou escrever. Os seus valores determinam-se pelo que vêem na televisão e todo o seu pensamento se molda com a propaganda anticristã.

O humor que se transmite é obsceno e boa parte dos guiões está cheia de insinuações repugnantes.

A publicidade não somente é estúpida, mas também, moralmente destrutiva. Pelo jeito, não se pode vender nada sem um desfile de rameiras de Hollywood, que exponham vastas porções da sua anatomia, usando o movimento do corpo para incitar sexualmente.

Em muitas famílias a televisão causou um colapso de comunicação. Os seus membros estão enfeitiçados pelos programas até ao ponto de perderam a habilidade de manter conversações construtivas uns com os outros.

Na área da música, as letras das canções são com frequência altamente censuráveis. Glorificam a luxúria e tratam o adultério e a homossexualidade como estilos de vida legítimos e fazem dos homens violentos os seus heróis.

Tratando de refutar o que dizemos alguns afirmam que há na televisão programas Cristãos saudáveis. A resposta é que estes são tão-somente a coberta de caramelo duma pílula venenosa. O efeito total da televisão é o simples facto de que ela destrói a vitalidade espiritual.

Um Cristão tinha encarregado alguém que levasse uma televisão a sua casa. Quando a camioneta se deteve em frente da sua casa, viu o anúncio publicitário num dos flancos do veículo: “A televisão traz o mundo para a sua casa.” Com isso, já não foi necessário nada mais. Da porta da sua casa mandou devolver o aparelho à loja, dizendo: “Não quero o mundo em minha casa.”

Ninguém que esteja preso à televisão jamais fará história para Deus. Esta é uma das causas principais da decadência espiritual dos nossos dias.



Tradução de Carlos António da Rocha

****

Esta tradução é de livre utilização, desde que a sua ortografia seja respeitada na íntegra porque já está traduzida no Português do Novo Acordo Ortográfico e que não seja nunca publicada nem utilizada para fins comerciais; seja utilizada exclusivamente para uso e desfruto pessoal.

Sem comentários: