… Mas o melhor de tudo é crer em Cristo! Luís Vaz de Camões (c. 1524 — 1580)

terça-feira, 1 de novembro de 2016

1 de novembro



William MacDonald
Um dia de cada vez
1 de novembro
“Pela manhã semeia a tua semente, e à tarde não retires a tua mão, porque tu não sabes qual prosperará, se esta, se aquela, ou se ambas serão igualmente boas.” (Ec 11:6, ARC, Pt)


A nossa ignorância quanto a como e quando Deus utilizará o nosso serviço deve instar-nos a sermos incansáveis, aproveitando todas as oportunidades. O Senhor obra frequentemente quando menos o esperamos e num número infinito de maneiras originais.

Um soldado Cristão, que estava cumprindo o serviço militar numa base aérea naval, estava próximo da esquina de um edifício testificando a um amigo. Um terceiro soldado, que não estava à vista da esquina, escutou o Evangelho, foi convencido dos seus pecados e converteu-se de verdade. O companheiro a quem se dirigiu a mensagem directamente não respondeu.

Um pregador (Charles Haddon Spurgeon!) que estava comprovando a acústica de um novo auditório, fez ressoar as palavras de João 1:29, “Eis o Cordeiro de Deus, que tira o pecado do mundo.” Ao que parece ninguém estava escutando. Uma vez mais pronunciou as palavras eternas de João, o Baptista: “Eis o Cordeiro de Deus, que tira o pecado do mundo.” O piso principal estava vazio, todavia, um operário no primeiro andar foi impactado pela mensagem e foi ao Cordeiro de Deus procurando perdão e uma nova vida.

Um professor bíblico norte-americano falava com um jovem turista do mesmo país, numa estação de comboios em Paris (Eram ambos da mesma cidade nos E. U. A.). O jovem irritou-se quando foi confrontado e disse: “Pensas que vais salvar-me numa estação de caminhos-de-ferro, em Paris?” O professor bíblico replicou: “Não, não posso salvar-te. Mas, nada ocorre por acaso na vida. Não foi por acidente que nos encontrámos aqui. Creio que Deus te está falando e que é melhor que O escutes.” Nos dias que se seguiram, um Cristão levou o jovem viajante a Viena enquanto lhe ia testemunhando pelo caminho. Regressando para os Estados Unidos, esse mesmo crente convidou o jovem a visitá-lo num rancho no Colorado. No último dia da sua estada no rancho, o dito jovem encontrava-se sozinho na piscina. Muito rapidamente outro convidado aproximou-se e falou-lhe tranquilamente sobre o Senhor e teve o grande gozo de o guiar ao Salvador. Anos mais tarde, o professor bíblico norte-americano foi apresentado a um ardente jovem discípulo no final de uma reunião. A sua cara era-lhe vagamente familiar. Então recordou-se. Tratava-se daquele turista a quem ele tinha testemunhado de Cristo numa estação de comboio em Paris.

A conclusão final, sem dúvida, é que devemos ser diligentes para Cristo pela manhã e pela tarde, a tempo e fora de tempo. Nunca sabemos que golpe romperá o granito ou que Palavra será aquela que dá a vida.



Tradução de Carlos António da Rocha

****

Esta tradução é de livre utilização, desde que a sua ortografia seja respeitada na íntegra porque já está traduzida no Português do Novo Acordo Ortográfico e que não seja nunca publicada nem utilizada para fins comerciais; seja utilizada exclusivamente para uso e desfruto pessoal.

Sem comentários: