… Mas o melhor de tudo é crer em Cristo! Luís Vaz de Camões (c. 1524 — 1580)

quinta-feira, 10 de novembro de 2016

10 de novembro


C. H. Spurgeon
Leituras Vespertinas
10 de novembro
“Basta ao discípulo ser como seu mestre.” (Mt 10:25, ARC, Pt)

NINGUÉM discutirá esta declaração, porque isso seria impróprio, que um servo se elevasse sobre o Seu Mestre. Quando nosso Senhor estava na Terra, como era o tratamento que Ele recebia? Foram reconhecidas as Suas reivindicações, foram seguidas as Suas instruções, foram estimadas as Suas perfeições por aqueles a quem Ele veio para abençoar? Não! “Era desprezado e o mais indigno entre os homens.” O Seu lugar era “o extremo do arraial”; a sua ocupação foi levar a cruz. Proporcionou-Lhe o mundo distração e descanso? “As raposas têm covis, e as aves do céu têm ninhos, mas o Filho do Homem não tem onde reclinar a cabeça.” Esta inóspita Terra não lhe deu abrigo: ela expulsou-O e crucificou-O. Se és um seguidor de Jesus e manténs uma conduta consistente e cristã, esta será a sorte que te tem de tocar naquela parte da tua vida espiritual que em o teu desenvolvimento exterior está sob a observação dos homens. Eles tratar-te-ão como trataram o Salvador; desprezar-te-ão. Não sonhes em que os mundanos te admirarão ou que quanto mais santo e quanto mais parecido sejas com Cristo, o povo te tratará mais pacificamente. Se eles não estimaram a gema polida, como darão eles valor à pedra preciosa em estado bruto? “Se chamaram Belzebu ao pai de família, quanto mais aos seus domésticos?” Se fôssemos mais semelhantes a Cristo, seríamos mais odiados pelos Seus inimigos. Seria uma grande desonra para um filho de Deus ser o favorito do mundo. É um mau presságio ouvir que o mundo malvado bate as palmas e brada de alegria ao cristão: “Bem feito! Muito bem! Bravo!!” Nesse caso bem pode o crente examinar o seu caráter e perguntar a si mesmo se não tem estado fazendo algo de errado quando os injustos lhe estão dando a sua aprovação. Sejamos leais ao nosso Mestre e não tenhamos amizade com um mundo cego e vil que O despreza e rejeita. Longe de nós procurar uma coroa de honra onde o nosso Senhor encontrou uma coroa de espinhos.


Tradução de Carlos António da Rocha

****

Esta tradução é de livre utilização, desde que a sua ortografia seja respeitada na íntegra porque já está traduzida no Português do Novo Acordo Ortográfico e que não seja nunca publicada nem utilizada para fins comerciais; seja utilizada exclusivamente para uso e desfruto pessoal.

Tenho deixado os meus leitores desfrutarem das publicações inéditas que vou apensando diariamente no meu blogue. Casualmente verifiquei que as Meditações Matutinas e Vespertinas de C. H. Spurgeon que eu traduzi estão publicadas quase ipsis verbis no Brasil, sem indicação do autor, ao preço de R$45,00 e em Portugal a €19,99 EUR!!!
Que roubalheira!!!
Isto dói e não é sério nem cristão.
Carlos

Sem comentários: