… Mas o melhor de tudo é crer em Cristo! Luís Vaz de Camões (c. 1524 — 1580)

sábado, 12 de novembro de 2016

12 de novembro

C. H. Spurgeon
Leituras Matutinas
12 de novembro
“A prova da vossa fé.” (1Pe 1:7, ARC, Pt)

A FÉ não provada pode ser uma fé genuína, mas é, sem dúvida uma fé débil, e, provavelmente, enquanto estiver sem provas permanecerá anã. A fé nunca prospera mais do que quando todas as coisas lhe são contrárias: as tormentas são os seus treinadores e os relâmpagos são os seus iluminadores. Quando no mar reina a calma, desfralda as velas como queiras, a nave não partirá para o seu porto, pois num mar dormente a quilha dorme também. Deixa que os ventos soprem furiosamente e que as águas se agitem, pois é assim como o vaso poderá chegar ao porto desejado, ainda que se balance de um lado para o outro, e ainda que o seu convés se lave com as ondas, e o mastro ranja baixo da pressão das velas enfunadas, e é então que ele avança para o seu abrigo desejado. Nenhuma flor tem um azul tão formoso como as que crescem ao pé dos glaciares gelados. Nenhuma estrela cintila mais brilhantemente do que as que fulgem no céu polar; nenhuma água tem um gosto mais agradável do que a que corre pelo deserto arenoso, e nenhuma fé é tão preciosa como a que vive e trunfa na adversidade. A fé provada traz experiência. Se não tivesses sido obrigado a passar pelos rios, não terias crido na tua debilidade; se não tivesses sido sustentado no meio das águas, nunca terias conhecido a potência de Deus. A fé quanto mais se exercita na tribulação, mais cresce em firmeza, em segurança e em intensidade. A fé é preciosa, e a sua prova também é preciosa.

Que isto, de qualquer modo, não desanime os que são neófitos na fé. Tu terás, sem as buscar, suficientes provas; a porção completa tê-la-ás no seu devido tempo. Entretanto, se ainda não podes falar dos resultados de uma larga experiência, agradece a Deus pela graça que tens; louva a Deus pelo grau de confiança que alcançaste. Anda conforme a essa regra, e tu terás mais e mais das bênçãos de Deus, até que a tua fé mova montanhas e supere as coisas impossíveis.

Tradução de Carlos António da Rocha

****

Esta tradução é de livre utilização, desde que a sua ortografia seja respeitada na íntegra porque já está traduzida no Português do Novo Acordo Ortográfico e que não seja nunca publicada nem utilizada para fins comerciais; seja utilizada exclusivamente para uso e desfruto pessoal.


Tenho deixado os meus leitores desfrutarem das publicações inéditas que vou apensando diariamente no meu blogue. Casualmente verifiquei que as Meditações Matutinas e Vespertinas de C. H. Spurgeon que eu traduzi estão publicadas ipsis verbis no Brasil, sem indicação do autor, ao preço de R$45,00 e em Portugal a €19.99 EUR!!!
Que roubalheira!!!
Isto dói e não é sério nem cristão.
Carlos

Sem comentários: