… Mas o melhor de tudo é crer em Cristo! Luís Vaz de Camões (c. 1524 — 1580)

sábado, 12 de novembro de 2016

12 de novembro

C. H. Spurgeon
Livro de Cheques do Banco da Fé
12 de novembro
“E o Meu povo se fartará dos Meus bens, diz o SENHOR.” (Jr 31:14, ARC, Pt)
Notai que a palavra “Meu” aparece duas vezes: “O Meu povo se fartará dos Meus bens.”

Aqueles que estão saciados por Deus são assinalados por Ele como Seus. Ele tem contentamento neles, porque eles têm contentamento nEle. Chamam-Lhe seu Deus, e Ele chama-lhes Seu povo. Ele satisfaz-Se com eles como a Sua porção, e eles satisfazem-se com Ele como a sua porção. Há uma comunhão íntima de deleite entre o Israel de Deus e o Deus de Israel!


Os que formam o povo de Deus estão satisfeitos. Esta é uma grande coisa! Há poucos filhos dos homens que se sentem sempre satisfeitos, seja qual for a sua sorte. Engoliram a sanguessuga, e essa está continuamente clamando: “Dá-me! Dá-me!” Só as almas santificadas estão satisfeitas. O próprio Deus é quem tem de converter-nos e contentar-nos.


Não é para admirar que o povo de Deus esteja saciado com os bens do seu Senhor! NEle temos bondade sem mistura, liberalidade sem limites, misericórdia sem censura, amor sem mudança e favor sem reserva. Se a bondade de Deus não nos sacia, o que é que poderá saciar-nos? Como! Ainda estamos gemendo? De facto, há um mau desejo dentro de nós, se for um, que a bondade de Deus não pode satisfazer.

Senhor, estou saciado. Bendito seja o Teu nome!

Tradução de Carlos António da Rocha

****

Esta tradução é de livre utilização, desde que a sua ortografia seja respeitada na íntegra porque já está traduzida no Português do Novo Acordo Ortográfico e que não seja nunca publicada nem utilizada para fins comerciais; seja utilizada exclusivamente para uso e desfruto pessoal.

Sem comentários: