… Mas o melhor de tudo é crer em Cristo! Luís Vaz de Camões (c. 1524 — 1580)

segunda-feira, 14 de novembro de 2016

14 de novembro


C. H. Spurgeon
Leituras Matutinas
14 de novembro
“Cortarei aqueles adoradores que juram pelo SENHOR e juram por Malcam.” (Sf 1:5, KJV)

ESTAS pessoas pensam estar seguras porque estavam com ambas as partes. Iam com os seguidores do SENHOR e ao mesmo tempo inclinavam-se ante Malcam. Mas a duplicidade é abominável a Deus, e a Sua alma odeia a hipocrisia. O idólatra que abertamente se entrega ao seu deus falso, tem um pecado menor do que aquele que oferece o seu profano e detestável sacrifício no templo do Senhor, enquanto que o seu coração está com o mundo e com os pecados deste. Segurar a lebre e correr com os cães de caça, é uma política infame. Nas coisas comuns da vida diária o homem que tem esta duplicidade é desprezado; mas, em religião, é repugnante até ao último grau. O castigo pronunciado neste versículo é terrível; mas é bem merecido, pois, como é possível que a justiça divina perdoe ao pecador que conhece o reto, o aprova e professa segui-lo, e durante todo este tempo tem amado continuamente o pecado e tem-lhe entregado o domínio de seu coração? Minh’alma, examina-te a ti mesma esta manhã, e olha se és culpada desta duplicidade.

Professas ser um seguidor de Jesus? Ama-Lo na verdade? É o teu coração reto para com Deus? És da família do ancião Pai Honesto ou és um parente do senhor Interesse Particular? Ter nome de que vivemos vale pouco, se estivermos mortos em delitos e pecados. Ter um pé na terra da verdade e o outro no mar da falsidade, significará uma queda terrível e uma ruína total. Cristo será tudo ou nada. Deus enche todo o Universo, daí que não haja lugar para outros deuses. Se Ele reinar no meu coração, então não haverá lugar para outro poder reinante. Descanso só em Jesus crucificado e vivo só por ele? É meu desejo que seja assim? Esforça-se o meu coração por obrar assim? Se é assim, bendita seja a poderosa graça que me guiou à salvação; e se não é assim, perdoa, oh Senhor, a minha terrível ofensa e concilia o meu coração para temer o Teu nome.



Tradução de Carlos António da Rocha

****

Esta tradução é de livre utilização, desde que a sua ortografia seja respeitada na íntegra porque já está traduzida no Português do Novo Acordo Ortográfico e que não seja nunca publicada nem utilizada para fins comerciais; seja utilizada exclusivamente para uso e desfruto pessoal.


Tenho deixado os meus leitores desfrutarem das publicações inéditas que vou apensando diariamente no meu blogue. Casualmente verifiquei que as Meditações Matutinas e Vespertinas de C. H. Spurgeon que eu traduzi estão publicadas ipsis verbis no Brasil, sem indicação do autor, ao preço de R$45,00 e em Portugal a €19.99 EUR!!!
Que roubalheira!!!
Isto dói e não é sério nem cristão.
Carlos

Sem comentários: