… Mas o melhor de tudo é crer em Cristo! Luís Vaz de Camões (c. 1524 — 1580)

terça-feira, 15 de novembro de 2016

15 de novembro


C. H. Spurgeon
Leituras Matutinas
15 de novembro
“A porção do SENHOR é o Seu povo.” (Dt 32:9, ARC, Pt)
POR QUE são eles Seus? São-no pela Sua soberana eleição. Ele escolheu-os e pôs neles o Seu amor. Isto Ele fê-lo independentemente de qualquer bondade que Ele tenha havido neles ou que Ele tenha previsto neles. Ele teve misericórdia de quem quis, e ordenou para a vida eterna uma escolhida companhia, de modo que são Seus pela Sua voluntária eleição.

Eles não só são Seus por eleição, mas também por compra. Ele comprou-os, e pagou por eles até ao último cêntimo; não pode, pois, haver discussão a respeito do Seu título de propriedade. A porção do SENHOR não foi redimida com coisas corruptíveis, como prata ou ouro, mas com o precioso sangue do Senhor Jesus Cristo. Não há hipoteca sobre os Seus bens; nenhum pleito pode ser suscitado por nenhum reclamante, pois o preço foi pago em pleno tribunal, e a Igreja é a absoluta e eterna propriedade do Senhor. Vê a marca de sangue que está sobre todos os Seus escolhidos; invisíveis aos olhos humanos, mas conhecidas por Cristo, pois “o Senhor conhece os que são Seus”. Ele não olvida a nenhum dos que Ele redimiu de entre os homens. Ele conta as ovelhas pelas quais pôs a Sua vida, e recorda distintamente a Igreja pela qual Ele se deu a Si mesmo.

Eles são Seus, também, por conquista. Que batalha teve de sustentar em nós antes de ganhar-nos! Por quanto tempo sitiou os nossos corações! Quão amiúde nos enviou condições de capitulação! Mas nós trancámos as nossas entradas e fortificámos contra Ele as nossas muralhas. Não recordamos aquela gloriosa hora quando Jesus tomou de assalto os nossos corações? Quando Ele colocou a Sua cruz contra a muralha, e subindo pelas nossas defesas, colocou sobre a nossa praça forte a bandeira encarnada da Sua omnipotente misericórdia? Sim, nós somos, na verdade, os cativos conquistados pelo Seu omnipotente amor. Sendo nós escolhidos, comprados e conquistados, os direitos que Ele tem sobre nós são inalienáveis. Regozijamos no facto de que nós jamais podemos ser de nós mesmos; e nós desejamos, diariamente, fazer a Sua vontade, e proclamar a Sua glória.



Tradução de Carlos António da Rocha

****

Esta tradução é de livre utilização, desde que a sua ortografia seja respeitada na íntegra porque já está traduzida no Português do Novo Acordo Ortográfico e que não seja nunca publicada nem utilizada para fins comerciais; seja utilizada exclusivamente para uso e desfruto pessoal.


Tenho deixado os meus leitores desfrutarem das publicações inéditas que vou apensando diariamente no meu blogue. Casualmente verifiquei que as Meditações Matutinas e Vespertinas de C. H. Spurgeon que eu traduzi estão publicadas ipsis verbis no Brasil, sem indicação do autor, ao preço de R$45,00 e em Portugal a €19.99 EUR!!!
Que roubalheira!!!
Isto dói e não é sério nem cristão.
Carlos

Sem comentários: