… Mas o melhor de tudo é crer em Cristo! Luís Vaz de Camões (c. 1524 — 1580)

terça-feira, 15 de novembro de 2016

15 de novembro


C. H. Spurgeon
Livro de Cheques do Banco da Fé
15 de novembro
“O meu Deus, segundo as Suas riquezas, suprirá todas as vossas necessidades em glória, por Cristo Jesus.” (Fl 4:19, ARC, Pt)

O Deus de Paulo é o nosso Deus, e suprirá todas as nossas faltas. Paulo estava certo disto em relação aos Filipenses, e nós estamo-lo quanto a nós mesmos. Deus fá-lo-á, porque é próprio dEle fazê-lo: Ele ama-nos, tem prazer em abençoar-nos e será glorificado por isso. A Sua piedade, o Seu poder, o Seu amor e a Sua fidelidade, tudo contribui para que não estejamos famintos.

De que medida Se serve o Senhor: “Segundo as Suas riquezas, em glória, por Cristo Jesus”. São as grandes riquezas da Sua graça, mas o que diremos das riquezas da Sua glória? As Suas “riquezas em glória por Cristo Jesus”, quem poderá calculá-las? E é segundo esta medida incomensurável que Deus encherá o imenso abismo das nossas necessidades. É o Senhor Jesus o recipiente e o meio da Sua plenitude, e então dá-nos da Sua riqueza de amor, no mais alto grau. Aleluia!

O autor (destas linhas) conhece o que é ser provado na obra do Senhor. A fidelidade tem sido recompensada com ira, e os dadores liberais têm posto um fim às suas contribuições; mas aquele a quem se esforçaram por oprimir não foi mais pobre por isso, antes, pelo contrário, tem sido enriquecido, porque esta promessa é verdadeira. “O meu Deus suprirá todas as vossas necessidades.” Os fundos de Deus são mais seguros do que os de qualquer banco.


Tradução de Carlos António da Rocha

****

Esta tradução é de livre utilização, desde que a sua ortografia seja respeitada na íntegra porque já está traduzida no Português do Novo Acordo Ortográfico e que não seja nunca publicada nem utilizada para fins comerciais; seja utilizada exclusivamente para uso e desfruto pessoal.

Sem comentários: