… Mas o melhor de tudo é crer em Cristo! Luís Vaz de Camões (c. 1524 — 1580)

terça-feira, 15 de novembro de 2016

15 de novembro

C. H. Spurgeon
Leituras Vespertinas
15 de novembro
“Confirma, ó Deus, o que já realizaste por nós.” (Sl 68:28, ARC, Pt)

ALÉM de ser sinal da nossa sabedoria, é também, nosso dever o suplicar a Deus continuamente, para que Ele confirme, o que já realizou em nós. É por causa da sua falta de atenção nisto, que muitos Cristãos chegam a sentir-se culpados por aquelas provas e aflições de espírito que se originam na descrença. É verdade que Satanás procura alagar o formoso jardim do coração e transformá-lo num lugar de desolação, mas, também é verdade que muitos Cristãos deixam, eles mesmos, as comportas abertas, e deixam entrar o terrível dilúvio pela falta de cuidado e pela falta de oração ao Seu poderoso Ajudador. Esquecemo-nos frequentemente que o Autor da nossa fé deve ser também o Preservador da mesma. A lâmpada que ardia no templo nunca devia apagar-se, porém, ela tinha de ser cheia diariamente com azeite novo; da mesma maneira, a nossa fé somente pode viver quando é mantida pelo azeite da graça, que unicamente podemos obter de Deus. Se não garantirmos o necessário azeite para as nossas lâmpadas demonstraremos ser virgens insensatas. Aquele que fez o mundo também o sustenta, senão ele cairia com um tremendo estrépito. Aquele que nos fez Cristãos tem de nos manter com o Seu Espírito, senão a nossa ruína será rápida e final. Aproximemo-nos, então, em cada noite do nosso Senhor, para obtermos a graça e a fortaleza de que necessitamos. Nós temos um sólido argumento na nossa petição, porquanto é pela Sua própria obra de graça, que Lhe pedimos que a confirme, como diz o versículo “o que já realizaste por nós.” Pensas que o Senhor deixará de proteger ou sustentar essa obra de graça? Se a tua fé se apoiar somente no poder do Senhor, todas as forças das trevas, guiadas pelo Diabo, senhor do Inferno, não poderão sequer arremessar uma nuvem ou uma sombra sobre o teu gozo e paz. Por que desfaleces, quando podes ser forte? Por que sofres derrotas, quando podes levar a melhor? Oh! Toma a tua fé vacilante e os teus murchos agradecimentos e leva-os Àquele que os pode fazer renascer e supri-los novamente, e, fervorosamente ora: “Confirma, ó Deus, o que já realizaste por nós.


Tradução de Carlos António da Rocha

****

Esta tradução é de livre utilização, desde que a sua ortografia seja respeitada na íntegra porque já está traduzida no Português do Novo Acordo Ortográfico e que não seja nunca publicada nem utilizada para fins comerciais; seja utilizada exclusivamente para uso e desfruto pessoal.

Tenho deixado os meus leitores desfrutarem das publicações inéditas que vou apensando diariamente no meu blogue. Casualmente verifiquei que as Meditações Matutinas e Vespertinas de C. H. Spurgeon que eu traduzi estão publicadas quase ipsis verbis no Brasil, sem indicação do autor, ao preço de R$45,00 e em Portugal a €19,99 EUR!!!
Que roubalheira!!!
Isto dói e não é sério nem cristão.
Carlos

Sem comentários: