… Mas o melhor de tudo é crer em Cristo! Luís Vaz de Camões (c. 1524 — 1580)

quarta-feira, 16 de novembro de 2016

16 de novembro


C. H. Spurgeon
Leituras Vespertinas
16 de novembro
“Os teus olhos verão o Rei na Sua formosura.” (Is 33:17, ARC, Pt)

QUANTO mais saibas a respeito de Cristo, menos satisfeito estarás com opiniões superficiais acerca dEle; e, quanto mais profundamente estudes os convénios do eterno pacto, os compromissos de Cristo como eterno Fiador e a plenitude da Sua graça, que brilha em todos os Seus ofícios, mais verdadeiramente verás o Rei na Sua formosura. Ocupa-te muito nestas coisas. Anseia mais e mais por ver Jesus. A meditação e a contemplação são, com muita frequência, semelhantes às janelas de ágata e às portas de carbúnculo, através das quais contemplamos o Redentor. A meditação põe o telescópio no olho e capacita-nos para vermos Jesus de um modo melhor do que se O tivéssemos visto nos dias da sua carne. Deus queira que pensemos mais no Céu e que tenhamos uma relação mais estreita com a pessoa, a obra e a formosura do nosso encarnado Senhor! Se meditássemos mais, a formosura do Rei resplandeceria sobre nós com maior resplendor. Amado, é muito provável que quando estivermos para morrer, tenhamos a mais clara visão do nosso glorioso Rei. Muitos santos, estando moribundos, olharam pelo meio das águas procelosas e viram Jesus andando sobre as ondas do mar e ouviram-No dizer: “Sou Eu; não temais.” Ah! Sim, quando a nossa casa de habitação comece a mover-se e lhe caia o reboco, então veremos Cristo através das gretas, e por entre as traves entrarão o fluxo dos raios da luz solar do Céu. Mas se queremos ver o “Rei na Sua formosura” cara a cara, temos de ir para o Céu, ou o Rei tem de vir para nós em Pessoa (na Sua Segunda Vinda). Oh que Ele viesse agora sobre as asas do vento! Ele é o nosso Marido e nós estamos viúvas na Sua ausência; Ele é o nosso querido e formoso Irmão e nós sem Ele estamos sozinhos. Espessos véus e escuras nuvens pendem entre as nossas almas e as suas verdadeiras vidas: Quando despontará o dia e as sombras desaparecerão? Oh, dia há muito esperado, começa agora!


Tradução de Carlos António da Rocha

****

Esta tradução é de livre utilização, desde que a sua ortografia seja respeitada na íntegra porque já está traduzida no Português do Novo Acordo Ortográfico e que não seja nunca publicada nem utilizada para fins comerciais; seja utilizada exclusivamente para uso e desfruto pessoal.

Tenho deixado os meus leitores desfrutarem das publicações inéditas que vou apensando diariamente no meu blogue. Casualmente verifiquei que as Meditações Matutinas e Vespertinas de C. H. Spurgeon que eu traduzi estão publicadas quase ipsis verbis no Brasil, sem indicação do autor, ao preço de R$45,00 e em Portugal a €19,99 EUR!!!
Que roubalheira!!!
Isto dói e não é sério nem cristão.
Carlos

Sem comentários: