… Mas o melhor de tudo é crer em Cristo! Luís Vaz de Camões (c. 1524 — 1580)

quarta-feira, 16 de novembro de 2016

16 de novembro


Oswald Chambers 
My Utmost for His Highest
16 de novembro AINDA HUMANO!

“… Ou façais outra qualquer coisa, fazei tudo para glória de Deus.” (1Co 10:31, ARC, Pt)

Nas Escrituras, a grande maravilha da encarnação entra à sorrelfa na vida comum de uma criança; a grande maravilha da transfiguração desvanece-se em baixo, no vale do possuído pelo demónio; a glória da ressurreição desce para um pequeno-almoço na praia. Este não é um anticlímax, mas uma grande revelação de Deus.

Nós temos a tendência de procurar o maravilhoso na nossa experiência, e nós confundimos as ações heróicas com os verdadeiros heróis. Uma coisa é passar por uma crise de modo esplêndido, mas outra bem diferente é passar cada dia glorificando a Deus quando não há testemunhas, nem nenhuma exibição pública, e, ainda, nem ninguém prestando-nos a mínima atenção. Se não buscamos halos, pelo menos queremos algo que faça dizer às pessoas: “Que extraordinário homem de oração é ele!”, ou “Ela é uma Mulher de uma grande devoção!” Se estás completamente dedicado ao Senhor Jesus, tu já chegaste à sublime altura onde ninguém jamais pensará em prestar-te atenção a ti, pessoalmente. A única coisa que é notada é o poder de Deus fluindo através de ti durante todo o tempo.

Gostamos de dizer: “Oh, eu recebi uma chamada maravilhosa de Deus!” Mas para que possamos fazer até as tarefas mais humildes para a glória de Deus é necessário o Deus Todo-Poderoso Encarnado obrando em nós. Para passarmos completamente despercebidos é preciso que o Espírito de Deus esteja em nós convertendo-nos em seres humanos realmente Seus. O verdadeiro teste à vida de um santo não é o êxito mas a fidelidade nos pormenores da nossa vida quotidiana. Nós temos tendência para estabelecermos o sucesso no trabalho cristão como o nosso propósito, mas o nosso objectivo deve ser o de mostrar a glória de Deus na vida humana, com o fim de vivermos uma vida “escondida com Cristo, em Deus” nas nossas condições humanas quotidianas (Cl 3:3). As nossas relações humanas são as próprias condições nas quais a vida perfeita de Deus deve ser exibida publicamente.

Tradução de Carlos António da Rocha

****

Esta tradução é de livre utilização, desde que a sua ortografia seja respeitada na íntegra porque já está traduzida no Português do Novo Acordo Ortográfico e que não seja nunca publicada nem utilizada para fins comerciais; seja utilizada exclusivamente para uso e desfruto pessoal. 

Sem comentários: