… Mas o melhor de tudo é crer em Cristo! Luís Vaz de Camões (c. 1524 — 1580)

quinta-feira, 17 de novembro de 2016

17 de novembro

C. H. Spurgeon
Leituras Matutinas
17 de novembro
“Glória, pois, a Ele eternamente. Ámen.” (Rm 11:36, ARC, Pt)

“Glória, pois, a Ele eternamente.” Este devia ser o único desejo do Cristão. Todos os outros desejos devem estar subordinados a este. O Cristão pode anelar ter prosperidade nos seus negócios, mas só até onde esse desejo o ajude a promover o que diz este versículo: “Glória, pois, a Ele eternamente.” Pode desejar ter mais dons, mas com a finalidade de que seja dada “Glória, pois, a Ele eternamente.”

Não estás obrando como deves, quando o fazes impulsionado por outro motivo que não seja o da glória de Deus. Como Cristão, para ti é “de Deus e por mediação de Deus”; vive, pois, “para Deus.” Que nada faça pulsar o teu coração tão fortemente como o amor a Deus. Que esta ambição inflame a tua alma; que seja o fundamento de todas as tuas empresas e a força que te sustente quando o teu zelo se esfrie. Faz de Deus o teu único objecto e depende dele, pois onde começa o eu, começa a aflição.

"Para mim, é igual que o Amor ordene
A minha vida ou a minha morte—me designe ausência de dificuldades ou a dor."

Que os teus desejos a favor da glória de Deus cresçam. Na tua juventude, louvaste-O; não te satisfaças agora com os louvores que então Lhe tributaste. Deus tornou-te próspero nos teus negócios? Como Ele te deu mais, tributa-lhe tu também maiores louvores. Deus deu-te experiência? Louva-O, pois, por possuíres agora uma fé mais poderosa. Cresceu o teu conhecimento? Então canta mais melodiosamente. Gozas agora de tempos mais felizes dos que gozaste outrora? Restabeleceste-te de alguma enfermidade e a tua tristeza tornou-se em paz e grande satisfação? Então canta mais frequentemente ao Seu nome. Põe mais brasas e mais incenso odorífero no incensário do teu louvor. Na tua vida prática dá a Deus a glória devida ao Seu nome. Com o teu serviço pessoal e com a tua crescente santidade, põe o “Ámen” a esta doxologia tributada ao teu grandioso e misericordioso Senhor.


Tradução de Carlos António da Rocha

****

Esta tradução é de livre utilização, desde que a sua ortografia seja respeitada na íntegra porque já está traduzida no Português do Novo Acordo Ortográfico e que não seja nunca publicada nem utilizada para fins comerciais; seja utilizada exclusivamente para uso e desfruto pessoal.


Tenho deixado os meus leitores desfrutarem das publicações inéditas que vou apensando diariamente no meu blogue. Casualmente verifiquei que as Meditações Matutinas e Vespertinas de C. H. Spurgeon que eu traduzi estão publicadas ipsis verbis no Brasil, sem indicação do autor, ao preço de R$45,00 e em Portugal a €19.99 EUR!!!
Que roubalheira!!!
Isto dói e não é sério nem cristão.
Carlos

Sem comentários: