… Mas o melhor de tudo é crer em Cristo! Luís Vaz de Camões (c. 1524 — 1580)

quinta-feira, 17 de novembro de 2016

17 de novembro

Aos Pés Do Mestre
(At the Master’s feet),
Compilado por Audie G. Lewis
das obras de
C. H. Spurgeon
17 de novembro – A NOSSA RECOMPENSA FUTURA

O Senhor, porém, pague, a cada um, a sua justiça e a sua lealdade.” (1Sm 26:23, ARC, Pt)


Durante o dia trabalhamos e à tarde recebemos o pagamento pelo nosso trabalho. Dessa mesma forma é que muitos Cristãos procuram a recompensa imediata pelo seu trabalho, e se a recebem, começam a regozijar-se nela como se tivessem recebido a sua verdadeira recompensa. Da mesma forma que os discípulos que voltaram e disseram a Jesus: “Senhor, pelo Teu nome, até os demónios se nos sujeitam” (Lc 10:17, ARC, Pt), se regozijaram somente na prosperidade presente. Não obstante, o Mestre admoestou-os para que não considerassem o êxito como a sua recompensa por fazer milagres, já que não seria sempre assim. “Mas”, disse-lhes, “não vos alegreis porque se vos sujeitem os espíritos; alegrai-vos, antes, por estarem os vossos nomes escritos nos céus” (Lc 10:20, ARC, Pt). O êxito no ministério não é a verdadeira recompensa do ministro Cristão: é um pagamento inicial, mas ainda se aguarda a recompensa. Não deves considerar a aprovação dos teus semelhantes como a recompensa à excelência pois, com frequência, terás o resultado contrário; verás as tuas melhores ações distorcidas e os teus motivos interpretados mal.



Ser descartado e rechaçado pelos homens é o destino do Cristão. Nem sequer gozará sempre de boa reputação entre os seus semelhantes Cristãos. Nem tudo o que recebemos dos santos é absoluta bondade e puro amor. Advirto-te que se buscas a tua recompensa na própria noiva de Cristo, não a obsterás. “Quando o Rei vier na Sua glória”, então será o tempo de receber a recompensa; mas não hoje, nem amanhã, nem em algum outro tempo enquanto estejamos neste mundo.

A Bíblia, do princípio ao fim, num ano: Ap 6-8

Tradução de Carlos António da Rocha

****

Esta tradução é de livre utilização, desde que a sua ortografia seja respeitada na íntegra porque já está traduzida no Português do Novo Acordo Ortográfico e que não seja nunca publicada nem utilizada para fins comerciais; seja utilizada exclusivamente para uso e desfruto pessoal.

Sem comentários: