… Mas o melhor de tudo é crer em Cristo! Luís Vaz de Camões (c. 1524 — 1580)

quinta-feira, 17 de novembro de 2016

17 de novembro

Oswald Chambers 
My Utmost for His Highest
17 de novembro A META ETERNA

“Por mim mesmo, jurei, diz o Senhor: Porquanto fizeste esta ação, … Que deveras te abençoarei…” (Gn 22:16-17, ARC, Pt)


Abraão, neste ponto, chegou onde ele está ao corrente com a própria natureza de Deus. Ele, agora, compreende a realidade de Deus.

O meu objectivo a atingir é o próprio Deus...
A qualquer custo, querido Senhor, por qualquer caminho.

A qualquer custo... por qualquer caminho” significa submeter-nos à maneira como Deus nos traz para a meta.

Não há possibilidade de questionar Deus quando Ele fala, se Ele fala à Sua própria natureza em mim. O único resultado é a obediência imediata. Quando Jesus diz: “Vem”, eu simplesmente vou, quando Ele diz: “deixa ir”, eu deixo ir, quando Ele diz: “Confia em Deus neste assunto,” eu confio. Este trabalho de obediência é a evidência de que a natureza de Deus está em mim.

A revelação de Si mesmo que o próprio Deus me dá é influenciada pelo meu caráter, não pelo caráter de Deus.

“Sou ordinário, é por isso que tantas vezes
Teus caminhos me parecem ordinários para mim.”

É através da disciplina da obediência que eu chego ao lugar onde Abraão foi e eu vejo quem é Deus. Deus nunca vai ser real para mim até que eu fique cara a cara com Ele em Jesus Cristo. Então eu vou saber e poderei proclamar corajosamente: “Em todo o mundo, meu Deus, não há ninguém senão Tu, não há ninguém senão Tu.”

As promessas de Deus são de nenhum valor para nós, até que, através da obediência, chegamos a compreender a natureza de Deus. Podemos ler algumas coisas na Bíblia, diariamente, durante um ano e que podem não significar nada para nós. Então, porque temos sido obedientes a Deus em algum pequeno pormenor, subitamente, vemos o que Deus tem em mente e a Sua natureza nos é instantaneamente revelada. “Todas quantas promessas há de Deus, são, nEle, Sim, e, por Ele, o Ámen...” (2Co 1:20). O nosso “Sim” deve nascer da obediência; quando, pela obediência ratificamos uma promessa de Deus, dizendo: “Ámen “, ou, “Assim seja”, essa promessa torna-se nossa.


Tradução de Carlos António da Rocha

****

Esta tradução é de livre utilização, desde que a sua ortografia seja respeitada na íntegra porque já está traduzida no Português do Novo Acordo Ortográfico e que não seja nunca publicada nem utilizada para fins comerciais; seja utilizada exclusivamente para uso e desfruto pessoal. 

Sem comentários: