… Mas o melhor de tudo é crer em Cristo! Luís Vaz de Camões (c. 1524 — 1580)

sexta-feira, 18 de novembro de 2016

18 de novembro

Oswald Chambers 
My Utmost for His Highest
18 de novembro OBTENDO A LIBERDADE
“Se, pois, o Filho vos libertar, verdadeiramente sereis livres.” (Jo 8:36, ARC, Pt)

Supondo que ainda exista algum sinal de presunção permitido em nós, ela sempre diz, “Eu não posso ceder”, ou “Eu não posso ser livre.” Mas a parte espiritual do nosso ser nunca diz “Eu não posso”; ele simplesmente absorve tudo ao seu redor. O nosso espírito anseia por mais e mais. É a maneira como fomos formados. Estamos planeados com uma grande capacidade de afeição por Deus, mas o pecado, a nossa própria individualidade (o nosso eu), e um modo de pensar errado impede-nos de chegar até eEle. Deus livra-nos do pecado— contudo nós temos de nos livrarmos a nós mesmos da nossa individualidade. Isto significa oferecer a nossa vida natural a Deus e sacrificando-a a Ele, para que Ele possa transformá-la em vida espiritual através da nossa obediência.

Deus não presta nenhuma atenção à nossa individualidade natural no desenvolvimento da nossa vida espiritual. O Seu plano atravessa adequadamente o meio da nossa vida natural. Temos de cuidar dele para que nós ajudemos e cooperemos com Deus, e não resistir-Lhe, dizendo: “Eu não posso fazer isso.” Deus não vai disciplinar-nos; nós é devemos disciplinar-nos a nós mesmos. Deus não vai levar cativo todo o nosso “entendimento à obediência de Cristo” (II Coríntios 10:5) –nós mesmos é que temos de fazê-lo. Não digas: “Oh, Senhor, eu sofro de pensamentos errantes.” Não sofras de pensamentos errantes! Pára de ouvir a tirania da tua vida individual natural e obtém liberdade para a vida espiritual.

Se, pois, o Filho vos libertar... “ Não substituas Salvador por Filho, nesta passagem. O Salvador tem-nos libertado do pecado, mas esta é a liberdade que resulta de ser libertado de mim mesmo pelo Filho. É o que Paulo quis dizer em Gálatas 2:20, quando disse: “Já estou crucificado com Cristo... “ A sua individualidade tinha sido quebrada e o seu espírito havia sido unido com o seu Senhor, não apenas incorporado com Ele, mas feito um com Ele. “… verdadeiramente sereis livres” — com liberdade para o âmago do teu ser, livre de dentro para fora. Nós temos tendência para confiar na nossa própria energia, em vez de sermos estimulados pelo poder que vem da identificação com Jesus.


Tradução de Carlos António da Rocha

****

Esta tradução é de livre utilização, desde que a sua ortografia seja respeitada na íntegra porque já está traduzida no Português do Novo Acordo Ortográfico e que não seja nunca publicada nem utilizada para fins comerciais; seja utilizada exclusivamente para uso e desfruto pessoal. 

Sem comentários: