… Mas o melhor de tudo é crer em Cristo! Luís Vaz de Camões (c. 1524 — 1580)

quarta-feira, 2 de novembro de 2016

2 de novembro


C. H. Spurgeon
Leituras Matutinas
2 de novembro

“Eu, o SENHOR, não mudo.” (Ml 3:6, ARC, Pt)

É bom para nós que no meio de toda a instabilidade da vida, haja Um, a quem as mudanças não O possam afectar; Um, cujo coração não possa ser alterado pelo tempo; Um, em cuja fronte a mutabilidade não possa fazer rugas. Por outro lado, todas as coisas hão mudado e continuam mudando. Mesmo o Sol se obscurece com o tempo; o mundo envelhece. O dobrar da roupa gasta há começado; os céus e a Terra hão-de perecer em breve; perecerão e envelhecerão como envelhece um vestido. Mas há Um, “Aquele que tem, Ele só, a imortalidade”, cujos anos não têm fim, e em cuja Pessoa não há mudança. O prazer que experimenta o marinheiro quando, depois de ter sido balançado por muitos dias põe outra vez o seu pé em terra, é como a satisfação que experimenta o Cristão quando, no meio de todas as mudanças desta turbulenta vida, põe o pé da sua fé nesta verdade: “Eu, o SENHOR, não mudo.”

A estabilidade que a âncora dá à nave quando ela, por fim, alcança um suporte, é semelhante à estabilidade que a esperança cristã dá ao crente, quando ele se firma nessa gloriosa verdade. Em Deus “não há mudança nem sombra de variação.” O que os Seus atributos foram no tempo remoto são-no também agora. O Seu poder, a Sua sabedoria, a Sua justiça e a Sua verdade são igualmente inalteráveis. Ele tem sido sempre o refúgio e a fortaleza do Seu povo no dia da angústia; e até agora Ele continua sendo o seu seguro Auxiliador. Ele é inalterável no Seu amor. Ele tem amado o Seu povo “com amor eterno”. Ele ama-os agora tanto como sempre Ele os amou, e quando todas as coisas terrestres se desfaçam na última conflagração, o Seu amor perdurará ainda em toda a sua força. Preciosa é a segurança de que Ele não muda! A roda da providência gira ao redor do eixo do amor eterno.

"A morte e a mudança estão sempre ocupadas,
O homem decai, e as eras mudam;
Mas a Sua clemência nunca decai;
Deus é sabedoria, Deus é amor."

Tradução de Carlos António da Rocha

****

Esta tradução é de livre utilização, desde que a sua ortografia seja respeitada na íntegra porque já está traduzida no Português do Novo Acordo Ortográfico e que não seja nunca publicada nem utilizada para fins comerciais; seja utilizada exclusivamente para uso e desfruto pessoal.


Tenho deixado os meus leitores desfrutarem das publicações inéditas que vou apensando diariamente no meu blogue. Casualmente verifiquei que as Meditações Matutinas e Vespertinas de C. H. Spurgeon que eu traduzi estão publicadas ipsis verbis no Brasil, sem indicação do autor, ao preço de R$45,00 e em Portugal a €19.99 EUR!!!
Que roubalheira!!!
Isto dói e não é sério nem cristão.
Carlos

Sem comentários: