… Mas o melhor de tudo é crer em Cristo! Luís Vaz de Camões (c. 1524 — 1580)

quarta-feira, 23 de novembro de 2016

23 de novembro


C. H. Spurgeon
Leituras Matutinas
23 de novembro
“Comunhão com Ele.” (1Jo 1:6, ARC, Pt)

QUANDO pela fé fomos incorporados a Cristo passámos a ter uma comunhão tão íntima com Ele, que fomos feitos um com Ele e com os Seus interesses que os nossos interesses tornaram-se mútuos e idênticos. Nós temos comunhão com Cristo no Seu amor. Aquilo que Ele ama, amamo-lo nós. Ele ama os santos, nós também. Ele ama os pecadores, nós fazemos o mesmo. Ele ama a pobre espécie humana, que está perecendo, e deseja ver os desertos da Terra transformados em jardim do Senhor, e assim o desejamos nós. Nós temos comunhão com Ele nos Seus desejos. Ele deseja a glória de Deus; e nós trabalhamos para o mesmo. Ele deseja que os santos estejam onde Ele está, e nós, pela nossa parte, desejamos estar com Ele. Ele deseja derrotar o pecado, e nós lutamos sob a Sua bandeira. Ele deseja que o nome do Seu Pai seja amado e adorado por todas as Suas criaturas, e nós oramos diariamente assim: “Venha o Teu reino, seja feita a Tua vontade, assim na Terra como no Céu.” Nós temos comunhão com Cristo nos Seus sofrimentos. Não fomos cravados na cruz nem morremos de morte cruel, mas quando Ele é vituperado, nós também o somos. É-nos muito agradável ser afrontados por Sua causa, ser desprezados por seguir o Mestre e ter o mundo contra nós. O discípulo não tem de ser mais do que o seu Mestre. Dentro da nossa capacidade também temos comunhão Ele nos Seus trabalhos, ao ministrarmos aos homens a Palavra da Verdade e com as obras de amor. A nossa comida e a nossa bebida, como foi a Sua, é fazer a vontade dAquele que nos enviou e terminar a Sua obra. Também temos comunhão com Cristo nos Seus gozos. Somos felizes na Sua felicidade e regozijamo-nos na Sua exaltação. Crente, provaste alguma vez aquele gozo? Não há na Terra um deleite mais puro e mais comovedor do que termos em nós o gozo de Cristo, para que o nosso gozo seja completo. A Sua glória espera-nos para completarmos a nossa comunhão, pois a Sua Igreja deve sentar-se com Ele no Seu trono, como a Sua noiva bem-amada e rainha.


Tradução de Carlos António da Rocha

****

Esta tradução é de livre utilização, desde que a sua ortografia seja respeitada na íntegra porque já está traduzida no Português do Novo Acordo Ortográfico e que não seja nunca publicada nem utilizada para fins comerciais; seja utilizada exclusivamente para uso e desfruto pessoal.

Tenho deixado os meus leitores desfrutarem das publicações inéditas que vou apensando diariamente no meu blogue. Casualmente verifiquei que as Meditações Matutinas e Vespertinas de C. H. Spurgeon que eu traduzi estão publicadas quase ipsis verbis no Brasil, sem indicação do autor, ao preço de R$45,00 e em Portugal a €19,99 EUR!!!
Que roubalheira!!!
Isto dói e não é sério nem cristão.
Carlos

Sem comentários: