… Mas o melhor de tudo é crer em Cristo! Luís Vaz de Camões (c. 1524 — 1580)

quinta-feira, 24 de novembro de 2016

24 de novembro

C. H. Spurgeon
Leituras Matutinas
24 de novembro
“O glorioso SENHOR será para nós um lugar de rios e correntes largas.” (Is 33:21, ARC, Pt)

OS rios e as correntes largas trazem para a terra fertilidade e abundância. Os lugares que estão perto dos rios largos são notáveis pela variedade das suas plantas e pela abundância das suas colheitas. Deus é tudo isto para a Sua Igreja. Tendo a Deus, a Igreja tem abundância. O que pode ela pedir que Ele não lhe dê? Que necessidade pode mencionar, que Ele não supra? “SENHOR dos Exércitos dará neste monte a todos os povos uma festa com animais gordos.” Necessitas do pão da vida? Esse pão cai do céu como o maná. Necessitas de correntes refrescantes? A rocha segue-te, e essa Rocha é Cristo. Se padeces de alguma necessidade é por tua culpa; porquanto se estás estreitado, não estás estreitado nEle, mas estás estreitado nos teus próprios afectos. Os rios e as correntes largas indicam comércio. O nosso glorioso Senhor é para nós um lugar de mercadoria celestial. Por meio do nosso Redentor comercializamos com o passado. As riquezas do Calvário, os tesouros do pacto, as riquezas da eleição e os depósitos da eternidade chegaram até nós pelas amplas correntes do nosso misericordioso Senhor. Comercializamos, também, com o futuro. Que galeras carregadas até ao bordo chegaram até nós do milénio! Que visões temos tido dos dias do Céu sobre a Terra! Por meio do nosso misericordioso Senhor comercializamos com os anjos; temos comunhão com os espíritos brilhantes que foram lavados no sangue, que cantam diante do trono; não, melhor ainda, temos comunhão com o Infinito. Os rios e as correntes largas estão especialmente destinadas a expor a ideia de segurança. Antigamente os rios eram uma defesa. Oh amados!, que defesa é Deus para a Sua Igreja! O demónio não pode cruzar este amplo rio de Deus. Como gostaria de desviar a corrente! Mas não temas, pois Deus permanece imutavelmente o mesmo. Satã pode angustiar-nos, mas não pode destruir-nos. Nenhuma galera a remos invadirá o nosso rio, como tampouco algum barco ousado passará perto dali.

Tradução de Carlos António da Rocha

****

Esta tradução é de livre utilização, desde que a sua ortografia seja respeitada na íntegra porque já está traduzida no Português do Novo Acordo Ortográfico e que não seja nunca publicada nem utilizada para fins comerciais; seja utilizada exclusivamente para uso e desfruto pessoal.

Tenho deixado os meus leitores desfrutarem das publicações inéditas que vou apensando diariamente no meu blogue. Casualmente verifiquei que as Meditações Matutinas e Vespertinas de C. H. Spurgeon que eu traduzi estão publicadas quase ipsis verbis no Brasil, sem indicação do autor, ao preço de R$45,00 e em Portugal a €19,99 EUR!!!
Que roubalheira!!!
Isto dói e não é sério nem cristão.
Carlos

Sem comentários: