… Mas o melhor de tudo é crer em Cristo! Luís Vaz de Camões (c. 1524 — 1580)

sexta-feira, 25 de novembro de 2016

25 de novembro

C. H. Spurgeon
Leituras Matutinas
25 de novembro
“Para proclamar liberdade aos cativos.” (Lc 4:18, KJV)

NINGUÉM, excepto Jesus, pode dar liberdade aos cativos. A verdadeira liberdade vem só dEle. É esta uma liberdade justamente outorgada, pois o Filho, que é Herdeiro de todas as coisas, tem o direito de libertar os homens. Os santos honram a justiça de Deus, que agora lhes assegura a salvação. Esta liberdade foi comprada por alto preço. Cristo falou dela com o Seu poder, mas Ele comprou-a com o Seu sangue. Ele torna-te livre, mas à custa da Sua prisão; liberta-te porque Ele levou a tua carga; põe-te em liberdade porque Ele sofreu em teu lugar. Mas, ainda que essa liberdade a tenha comprado por alto preço dá-ta gratuitamente. Jesus não pede nada de nós, como preparação para recebermos a liberdade. Ele vê-nos sentados em saco e em cinza e pede-nos que vistamos os belos vestidos da liberdade. Ele salva-nos tal como somos, e tudo faz sem a nossa ajuda e sem os nossos méritos. Quando Jesus nos põe em liberdade, esta liberdade está perpetuamente assegurada, nenhuma cadeia nos pode prender outra vez. É suficiente que o Mestre me diga: “Cativo, Eu libertei-te”, para que eu fique livre para sempre. Satã procurará escravizar-nos, mas se o Senhor está ao nosso lado, a quem temeremos? O mundo, com as suas tentações, procurará enganar-nos, mas Aquele que está a nosso favor é mais poderoso do que os que estão contra nós. As maquinações do nosso enganoso coração acossar-nos-ão e incomodar-nos-ão, mas Aquele que começou em nós a boa obra, prossegui-la-á e aperfeiçoá-la-á até ao fim. Os inimigos de Deus e os inimigos do homem podem reunir as suas hostes, e vir contra nós com renovada fúria, mas se Deus nos absolve, quem é que nos pode condenar? A águia que sobe até seu ninho e, depois, se eleva até as nuvens, não é mais livre do que a alma libertada por Cristo. Se não estamos mais sob a Lei, mas livres da sua maldição, então exibamos de forma prática a nossa liberdade, servindo a Deus com gratidão e prazer. “SENHOR, sou Teu servo, filho da Tua serva; soltaste as minhas ataduras.” “Senhor, que queres que eu faça?

Tradução de Carlos António da Rocha

****

Esta tradução é de livre utilização, desde que a sua ortografia seja respeitada na íntegra porque já está traduzida no Português do Novo Acordo Ortográfico e que não seja nunca publicada nem utilizada para fins comerciais; seja utilizada exclusivamente para uso e desfruto pessoal.

Tenho deixado os meus leitores desfrutarem das publicações inéditas que vou apensando diariamente no meu blogue. Casualmente verifiquei que as Meditações Matutinas e Vespertinas de C. H. Spurgeon que eu traduzi estão publicadas quase ipsis verbis no Brasil, sem indicação do autor, ao preço de R$45,00 e em Portugal a €19,99 EUR!!!
Que roubalheira!!!
Isto dói e não é sério nem cristão.
Carlos

Sem comentários: