… Mas o melhor de tudo é crer em Cristo! Luís Vaz de Camões (c. 1524 — 1580)

terça-feira, 29 de novembro de 2016

29 de novembro


C. H. Spurgeon
Leituras Matutinas
29 de novembro
“Não andarás como mexeriqueiro entre o teu povo... não deixarás de repreender o teu próximo, e por causa dele não sofrerás pecado.” (Lv 19:16-17, ARC, Pt)

O MEXERIQUEIRO põe em circulação um veneno triplo, pois prejudica ao que conta a intriga, ao que o ouve e àquele a quem se refere. Por este preceito da Palavra de Deus proíbe-nos divulgar o rumor, seja este verdadeiro ou falso. A reputação dos filhos de Deus tem de ser para nós muito preciosa, e deveríamos considerar uma afronta o ajudar ao diabo a desonrar a Igreja e o Senhor. Algumas línguas necessitam de um freio. Muitos vangloriam-se de denegrir os seus irmãos, como se, obrando assim, eles próprios se enaltecessem. Os filhos prudentes de Noé cobriram a nudez do seu pai com um manto, mas o que se expôs a olhá-la, recebeu uma espantosa maldição. Nós próprios podemos ter necessidade, num destes dias tristes, da paciência e do silêncio dos nossos irmãos. Procedamos, pois, dessa maneira com aqueles que agora estão nessa situação. Seja esta a nossa regra familiar e o nosso comprometimento pessoal – JAMAIS FALAR MAL DE ALGUÉM.

O Espírito Santo, contudo, permite-nos censurar o pecado e ensina-nos a maneira de como fazê-lo. Devemos fazê-lo repreendendo o nosso irmão na sua cara e não falando mal dele nas suas costas. Esta forma de repreender é varonil, fraternal e cristã, e com a bênção de Deus será proveitosa. A carne não quer obrar assim? Então, temos de dar mais atenção à nossa consciência e acercar-nos estritamente à obra, não seja que por tolerar o pecado no nosso amigo nos façamos participantes dele. Centenas de pessoas foram livradas de graves pecados pelas exortações feitas a tempo, com prudência e com amor pelos pastores e outros irmãos fiéis. O nosso Senhor deu-nos um exemplo cheio de compaixão de como tratar com os amigos que erram na admoestação que Ele deu a Pedro: a oração com que Ele a precedeu, e a humildade com que Ele suportou a sua arrogante negação.



Tradução de Carlos António da Rocha

****

Esta tradução é de livre utilização, desde que a sua ortografia seja respeitada na íntegra porque já está traduzida no Português do Novo Acordo Ortográfico e que não seja nunca publicada nem utilizada para fins comerciais; seja utilizada exclusivamente para uso e desfruto pessoal.

Tenho deixado os meus leitores desfrutarem das publicações inéditas que vou apensando diariamente no meu blogue. Casualmente verifiquei que as Meditações Matutinas e Vespertinas de C. H. Spurgeon que eu traduzi estão publicadas quase ipsis verbis no Brasil, sem indicação do autor, ao preço de R$45,00 e em Portugal a €19,99 EUR!!!
Que roubalheira!!!
Isto dói e não é sério nem cristão.
Carlos

Sem comentários: