… Mas o melhor de tudo é crer em Cristo! Luís Vaz de Camões (c. 1524 — 1580)

terça-feira, 29 de novembro de 2016

29 de novembro



C. H. Spurgeon

Livro de Cheques do Banco da Fé

29 de novembro


“Aquele que crer não se apresse.” (Is 28:16, ARC, Pt)

Aquele ‘que crer’ apressar-se-á a guardar os mandamentos do Senhor, mas não se apressará com impaciência ou de modo impróprio.

Aquele ‘que crer’ não se apressará a fugir, porque ele não será vencido pelo temor que causa pânico. Quando outros estão fugindo de cá para lá, como se houvessem perdido o juízo, o crente permanecerá sereno, tranquilo e deliberado, e assim será capaz de actuar sabiamente na hora da prova.

Aquele ‘que crer’ não se apressará nas suas expectações, ansiando pelas suas coisas boas imediatamente e no lugar, mas esperará pelo tempo de Deus. Alguns têm uma pressa precipitada de terem o pássaro na mão, pois consideram a promessa do Senhor como uma ave voando, que não é provável que seja dele. Os crentes sabem como esperar.

Aquele ‘que crer’ não se apressará a mergulhar no mal ou em actos duvidosos. A incredulidade está sempre fazendo alguma coisa, e assim obra a sua própria ruína. Mas a fé não se apressa para além daquilo que está moralmente certo, e desta forma não se vê forçada a voltar pesarosamente pelo caminho que seguiu imprudentemente.

E comigo, como é? Estou crendo, e, portanto, estou guardando o andar de crente, que é andar com Deus? Paz, espírito tremente! Oh, descansa no Senhor e espera nEle pacientemente! Minha alma, atende a fazer isto imediatamente!

Tradução de Carlos António da Rocha

****

Esta tradução é de livre utilização, desde que a sua ortografia seja respeitada na íntegra porque já está traduzida no Português do Novo Acordo Ortográfico e que não seja nunca publicada nem utilizada para fins comerciais; seja utilizada exclusivamente para uso e desfruto pessoal.

Sem comentários: