… Mas o melhor de tudo é crer em Cristo! Luís Vaz de Camões (c. 1524 — 1580)

terça-feira, 29 de novembro de 2016

29 de novembro


C. H. Spurgeon

Leituras Vespertinas

29 de novembro
“Especiarias para o azeite da unção.” (Ex 35:8, ARC, Pt)

MUITO se usava este azeite da unção sob a Lei, e o que ele representava, é de capital importância para o Evangelho. Se queremos servir ao Senhor aceitavelmente é para nós indispensável a presença do Espírito Santo, pois é Ele que nos unge para todo o serviço santo. Sem a Sua ajuda, os nossos serviços religiosos não são senão uma vã oblação, e a nossa experiência pessoal, uma coisa morta. Sempre que o nosso ministério esteja sem unção, que coisa miserável ele se torna! Sem uma unção, tampouco valem nada as orações, os louvores, as meditações e os esforços secretos dos cristãos. Uma unção santa é a alma e a vida duma devoção sincera, a sua ausência é a mais grave de todas as calamidades. Apresentar-se diante do Senhor sem unção, seria como se um levita qualquer entrasse por si mesmo na função sacerdotal: os seus serviços religiosos seriam antes pecados do que serviços aceitáveis. Jamais nos aventuraremos a celebrar serviços religiosos sem as unções santas. Elas descem sobre nós da nossa gloriosa Cabeça. Por isso nós, que somos como que as borda de suas vestimentas, participamos de uma abundante unção. Com o fim de fazer o azeite da unção, os perfumistas compunham as especiarias aromáticas com a arte mais refinada, para nos mostrar quão ricos são todos os influxos do Espírito Santo. Todas as coisas boas acham-Se no divino Consolador. Consolação incomparável, instrução infalível, vivificação imortal, energia espiritual e divina santificação, tudo está misturado com outras coisas excelentes naquele colírio sagrado, o azeite celestial da unção do Espírito Santo. Ele comunica uma fragrância deliciosa ao caráter e à pessoa daquele sobre quem é derramado. Nada semelhante pode ser achado nem nos tesouros do rico nem nos segredos dos sábios. Não se pode imitá-lo. Ele procede somente de Deus, que o dá gratuitamente a toda alma, por meio de Jesus Cristo. Procuremos essa unção, porquanto nós podemos tê-la, podemos tê-la esta mesma noite. Oh, Senhor, unge os Teus servos!


Tradução de Carlos António da Rocha

****

Esta tradução é de livre utilização, desde que a sua ortografia seja respeitada na íntegra porque já está traduzida no Português do Novo Acordo Ortográfico e que não seja nunca publicada nem utilizada para fins comerciais; seja utilizada exclusivamente para uso e desfruto pessoal.

Tenho deixado os meus leitores desfrutarem das publicações inéditas que vou apensando diariamente no meu blogue. Casualmente verifiquei que as Meditações Matutinas e Vespertinas de C. H. Spurgeon que eu traduzi estão publicadas quase ipsis verbis no Brasil, sem indicação do autor, ao preço de R$45,00 e em Portugal a €19,99 EUR!!!
Que roubalheira!!!
Isto dói e não é sério nem cristão.
Carlos

Sem comentários: