… Mas o melhor de tudo é crer em Cristo! Luís Vaz de Camões (c. 1524 — 1580)

domingo, 6 de novembro de 2016

6 de novembro


Oswald Chambers 
My Utmost for His Highest
6 de novembro TEOLOGIA ÍNTIMA
“Crês tu isto?” (Jo 11:26, ARC, Pt)

Marta cria no poder que estava à disposição de Jesus Cristo; Ela cria que se Ele tivesse estado lá Ele poderia ter curado o seu irmão; ela também cria que Jesus tinha uma especial intimidade com Deus, e que tudo o que Ele pedia a Deus, Deus o daria. Contudo, ela precisava de uma intimidade mais pessoal com Jesus. A teologia de Marta teve o seu cumprimento no futuro. Mas Jesus continuou a atrai-la e a guiá-la até que a fé dela se tornou um gozo íntimo. Em seguida, ela emergiu lentamente numa herança pessoal: “Sim, Senhor, creio que tu és o Cristo, ...” (João 11:27).

Está o Senhor lidando contigo da mesma maneira? Jesus está ensinando-te a teres uma intimidade pessoal com Ele? Permite que Ele te constranja com a Sua pergunta “Crês tu isto?” Tu estás enfrentando uma área de dúvida na tua vida? Tu chegaste, como Marta, a uma encruzilhada de circunstâncias esmagadoras onde a tua teologia está prestes a tornar-se numa verdadeira fé pessoal? Isso só acontece quando um problema pessoal te traz o conhecimento da nossa necessidade pessoal.

Crer é comprometer-se. Na área da aprendizagem intelectual comprometo-me mentalmente, e rejeito qualquer coisa não relacionada com essa crença. No reino da fé pessoal comprometo-me moralmente às minhas convicções e não aceito o meio-termo. Mas na fé pessoal e íntima compromete-me espiritualmente com Jesus Cristo e tomo uma decisão de ser dominado só por Ele.

Então, quando me encontro cara a cara com Jesus Cristo e Ele me diz: “Crês tu isto?” Eu acho que a fé é tão natural como respirar. E eu fico surpreendido quando penso quão tolo fui eu em não confiar nEle mais cedo.



Tradução de Carlos António da Rocha

****

Esta tradução é de livre utilização, desde que a sua ortografia seja respeitada na íntegra porque já está traduzida no Português do Novo Acordo Ortográfico e que não seja nunca publicada nem utilizada para fins comerciais; seja utilizada exclusivamente para uso e desfruto pessoal.

Sem comentários: