… Mas o melhor de tudo é crer em Cristo! Luís Vaz de Camões (c. 1524 — 1580)

quarta-feira, 9 de novembro de 2016

9 de novembro


C. H. Spurgeon
Leituras Matutinas
9 de novembro
“Assim também andai nEle.” (Cl 2:6, ARC, Pt)

SE recebemos Cristo nos nossos corações, a nossa nova vida manifestará o íntimo conhecimento que tem dEle, andando pela fé nEle. Andar implica acção. A nossa religião não é para estar confinada no nosso gabinete reservado; devemos, pelo contrário, levar à prática o que cremos. Se um homem anda em Cristo, obrará como obraria Cristo, pois estando Cristo nele, sendo a esperança dele, o amor dele, o gozo dele e a vida dele é o reflexo da imagem de Jesus nele; e os homens dizem dele: "Ele é igual ao seu Mestre; vive como Jesus Cristo." Andar significa progresso. "Assim também andai nEle." Crente, avança de graça em graça; corre para diante até alcançares o mais alto grau de conhecimento que o homem pode obter relativo ao nosso Amado. Andar implica continuação. Temos de gozar de uma perpétua permanência em Cristo. Quantos cristãos pensam que só pela manhã e à noite devem ter comunhão com Jesus, e que depois, podem entregar os seus corações ao mundo durante todo o dia! Essa é uma maneira muito pobre de viver. Nós deveríamos estar sempre com Ele, andar nos Seus passos e fazer a Sua vontade. Andar implica também hábito. Quando falamos da conduta e da conversação de um homem queremos dizer os seus hábitos e o rumo constante da sua vida. Agora, se nós ocasionalmente sentimos prazer em Cristo, e depois O esquecemos; se às vezes dizemos que é nosso, e logo O abandonamos, então não temos perseverança, não andamos nEle. Temos de estar constantemente unidos a Ele, jamais O abandonando. Temos de "viver e ter o nosso ser nEle." “Como, pois, recebestes o Senhor Jesus Cristo, assim também andai nEle.” Persevera, cristão, no mesmo caminho no qual começaste a andar, e como ao princípio Jesus Cristo foi a esperança da tua fé, a fonte da tua vida, a causa primária dos teus actos e o gozo do teu espírito, deixa que Ele seja o mesmo até ao fim da tua vida. Que Ele seja também o mesmo quando passares pelo vale da sombra da morte e entres no descanso eterno que resta para o povo de Deus. Oh, Espírito Santo, torna-nos capazes de obedecer a este preceito divino.


Tradução de Carlos António da Rocha

****

Esta tradução é de livre utilização, desde que a sua ortografia seja respeitada na íntegra porque já está traduzida no Português do Novo Acordo Ortográfico e que não seja nunca publicada nem utilizada para fins comerciais; seja utilizada exclusivamente para uso e desfruto pessoal.


Tenho deixado os meus leitores desfrutarem das publicações inéditas que vou apensando diariamente no meu blogue. Casualmente verifiquei que as Meditações Matutinas e Vespertinas de C. H. Spurgeon que eu traduzi estão publicadas ipsis verbis no Brasil, sem indicação do autor, ao preço de R$45,00 e em Portugal a €19.99 EUR!!!
Que roubalheira!!!
Isto dói e não é sério nem cristão.
Carlos

Sem comentários: