… Mas o melhor de tudo é crer em Cristo! Luís Vaz de Camões (c. 1524 — 1580)

domingo, 6 de novembro de 2016

6 de novembro


William MacDonald
Um dia de cada vez
6 de novembro
“Assim voltarão os resgatados do SENHOR, e virão a Sião com júbilo, e perpétua alegria haverá sobre as suas cabeças; gozo e alegria alcançarão, a tristeza e o gemido fugirão.” (Is 51:11, ARC, Pt)

Neste cenário, a profecia de Isaías esperava o retorno gozoso do povo escolhido de Deus do seu cativeiro na Babilónia, o qual durou setenta anos.



Também se pode referir ainda a futura restauração de Israel quando o Messias reúna Israel na Terra que lhes prometeu vindos de todas as partes do mundo. Aquele será também um tempo de grande júbilo.



Mas, num sentido mais amplo, podemos aplicar o versículo ao Rapto da Igreja. Despertada pela voz de mando do Senhor, pela voz de arcanjo e pela trombeta de Deus, os corpos dos redimidos de todas as épocas levantar-se-ão da tumba. Os crentes vivos então, transformados num abrir e fechar de olhos unir-se-ão à multidão subindo para encontrar o Senhor, no ar. É então quando começa o grande cortejo para a casa do Pai.



É muito provável que toda a rota esteja flanqueada por hostes angelicais. À frente do cortejo irá o próprio Redentor, resplandecendo com a Sua gloriosa vitória sobre a morte e a tumba. Depois seguir-se-ão as multidões redimidas, de cada tribo, língua, povo e nação. Dez mil vezes dez mil e milhares de vezes, cantarão com toda a perfeição musical: “O Cordeiro que foi imolado é digno de tomar o poder, as riquezas, a sabedoria, a fortaleza, a honra, a glória e o louvor.” (Ap 5:12 RV60 traduzida)



Cada um dos da multidão é um troféu da maravilhosa graça de Deus. Cada um foi redimido do pecado e da vergonha, e feito uma nova criatura em Cristo Jesus. Alguns passaram por profundos sofrimentos por causa da sua fé, outros expuseram as suas vidas pelo Salvador. Mas, agora todas as cicatrizes e mutilações já não existem, e os santos têm corpos imortais glorificados.



Abraão e Moisés estão ali, assim como David e Salomão. Aí estão os amados Pedro, Tiago, João e Paulo assim como Martinho Lutero, João Wesley, João Knox e João Calvino. Mas, agora estes não são mais dignos de atenção do que os escondidos de Deus, desconhecidos na Terra, mas bem conhecidos no Céu.



Agora, os santos partem para o palácio do Rei. As penas e os gemidos foram-se para sempre e há gozo perpétuo sobre as suas cabeças. A fé tornou-se em vista e a esperança recebe a sua longamente esperada consumação. Os amados saúdam-se uns aos outros com fervorosos abraços. Prevalece uma transbordante alegria. Cada um assombra-se da graça maravilhosa que os levou das profundidades do pecado até estas alturas de glória.



Tradução de Carlos António da Rocha

****

Esta tradução é de livre utilização, desde que a sua ortografia seja respeitada na íntegra porque já está traduzida no Português do Novo Acordo Ortográfico e que não seja nunca publicada nem utilizada para fins comerciais; seja utilizada exclusivamente para uso e desfruto pessoal.

Sem comentários: