… Mas o melhor de tudo é crer em Cristo! Luís Vaz de Camões (c. 1524 — 1580)

domingo, 13 de novembro de 2016

13 de novembro


C. H. Spurgeon
Livro de Cheques do Banco da Fé
13 de novembro
“Eis que não tosquenejará nem dormirá o guarda de Israel.” (Sl 121:4, ARC, Pt)
O SENHOR é quem “guarda Israel”. Ele nunca está inconsciente, não tosquenejará nem adormece. Jamais deixa de guardar a casa e o coração do Seu povo. Esta é uma razão suficiente para que descansemos em perfeita paz. Alexandre disse que dormia porque o seu amigo Parménio velava; melhor podemos nós dormir, visto Deus ser o nosso guarda.

A locução adverbial “Eis que” foi aqui posta para chamar a nossa atenção para esta verdade consoladora. Israel dormiu, ainda que tivesse uma pedra por almofada, porém o seu Deus estava desperto e apareceu numa visão ao Seu servo. Quando nos encontrarmos sem defesa, o próprio SENHOR cobrirá as nossas cabeças.

O Senhor guarda o Seu povo, como um homem rico guarda o seu tesouro, como um capitão guarda uma cidade com uma guarnição, como uma sentinela guarda o seu soberano. Ninguém pode fazer mal àqueles que estão assim guardados. Que eu ponha a minha alma nas Suas mãos queridas. Ele nunca se olvida de nós, nunca deixa de cuidar eficazmente de nós, nunca Se encontra incapaz de guardar-nos.

Oh, meu Senhor, guarda-me, para que não me desencaminhe, caia e pereça! Guarda-me para que possa observar os Teus mandamentos. Com o Teu vigilante cuidado, guarda-me de dormir como o preguiçoso, e de perecer, assim, como os que dormem na morte.

Tradução de Carlos António da Rocha

****

Esta tradução é de livre utilização, desde que a sua ortografia seja respeitada na íntegra porque já está traduzida no Português do Novo Acordo Ortográfico e que não seja nunca publicada nem utilizada para fins comerciais; seja utilizada exclusivamente para uso e desfruto pessoal.

Sem comentários: