… Mas o melhor de tudo é crer em Cristo! Luís Vaz de Camões (c. 1524 — 1580)

segunda-feira, 7 de novembro de 2016

7 de novembro

C. H. Spurgeon
Livro de Cheques do Banco da Fé
7 de novembro
“E qualquer que a si mesmo se humilha será exaltado.” (Lc 18:14, ARC, Pt)


Para nós, deveria ser coisa fácil a humilhação, pois, o que temos para que possamos estar orgulhosos? Deveríamos tomar o último lugar sem que no-lo recomendassem. Se somos sensatos e sinceros, seremos pequenos aos nossos próprios olhos. Especialmente diante do Senhor, em oração, deveríamos reduzir-nos a nada. Ali não podemos falar de mérito, pois não temos nenhum; o nosso único recurso é a misericórdia: “Deus, sê propício a mim, pecador.”


Aqui temos uma palavra de ânimo procedente do Seu trono. Seremos exaltados pelo Senhor, se nos humilharmos. Para nós, o caminho que nos leva até lá a cima, vai de encosta abaixo. Quando nos despojamos do “eu”, então somos vestidos de humildade, e esta é a melhor roupagem.


O Senhor exaltar-nos-á com paz e com felicidade de espírito; com o conhecimento da Sua Palavra e com a comunhão com Ele em pessoa; Ele exaltar-nos-á no gozo do perdão certo e da justificação. O Senhor reparte as Suas honras entre os que as podem usar, para honra do Dador. Ele dá utilidade, aceitação e influência aos que não se irão inchar com estes dons, mas que se humilharão pela compreensão da sua maior responsabilidade. Nem Deus nem os homens se interessarão por exaltar alguém que se exalte a si mesmo; mas ambos, Deus e os homens bons unem-se para honrar a importância da modéstia.


Oh Senhor, destrói o meu “eu”, para que eu possa medrar em Ti.

Tradução de Carlos António da Rocha

****

Esta tradução é de livre utilização, desde que a sua ortografia seja respeitada na íntegra porque já está traduzida no Português do Novo Acordo Ortográfico e que não seja nunca publicada nem utilizada para fins comerciais; seja utilizada exclusivamente para uso e desfruto pessoal.

Sem comentários: