… Mas o melhor de tudo é crer em Cristo! Luís Vaz de Camões (c. 1524 — 1580)

sexta-feira, 16 de dezembro de 2016

16 de dezembro

William MacDonald
Um dia de cada vez
16 de dezembro
“Bendize, ó minha alma, ao SENHOR, e não te esqueças de nenhum de Seus benefícios. Ele é o que perdoa todas as tuas iniquidades, que sara todas as tuas enfermidades.” (Sl 103:2-3, ARC, Pt)

Um dos nomes compostos de Deus no Antigo Testamento é Jeová-Rafa, que significa “Eu sou o SENHOR que te sara.” (Ex 5:26b, ARC, Pt) Sara-nos de a toda espécie de enfermidades e finalmente libertar-nos-á para sempre de toda a enfermidade.

Algumas vezes, sara-nos por meio dos assombrosos poderes de recuperação com os quais dotou os nossos corpos. Esta é a razão pela qual os doutores dizem com frequência: “Quase tudo vai ficar melhor pela manhã.” Às vezes, cura-nos por meio da medicina e da cirurgia. Dubois, o famoso médico francês, dizia: “O cirurgião enfaixa a ferida; Deus sara-a.” Outras vezes, cura-nos milagrosamente. Sabemo-lo porque assim o afirmam os Evangelhos e pela experiência pessoal.

Não obstante, nem sempre a vontade de Deus é que saremos. Se assim fosse, alguns jamais envelheceriam ou morreriam. Porém, mais cedo ou mais tarde todos morreremos, até que o Senhor venha. Deus não tirou a aflição física de Paulo mas deu-lhe graça para que a suportasse (2Co 12:7-10).

Em um sentido geral, todas as enfermidades são resultado do pecado. Por outras palavras, se nunca se houvesse cometido algum pecado, então não haveria qualquer enfermidade. Em algumas ocasiões a doença é o resultado directo do pecado na vida de uma pessoa. Por exemplo, o alcoolismo em ocasiões provoca enfermidades no fígado, fumar às vezes produz cancro, a imoralidade sexual frequentemente causa enfermidades venéreas e a preocupação faz com que apareçam úlceras. Mas, nem todas as enfermidades são resultado directo do pecado. Satanás provocou a Job sérias enfermidades (Job 2:7) e, não obstante, Job era o homem mais justo da terra (Job 1:8; 2:3). Fez com que uma mulher desconhecida fosse afligida com encurvamento da coluna vertebral por muitos anos (Lc 13:11-17), e fez surgir um aguilhão na carne de Paulo (2Co 12:7). Em João 9:2-3, o pecado pôde não ter sido a causa porque aquele homem nascesse cego. Epafrodito estava gravemente doente, não por causa do pecado, mas por causa do seu serviço incansável para o Senhor (Fl 2:30). Gaio estava espiritualmente são, mas fisicamente indisposto (III João, 2).

Por último, o facto de não se ser sarado não indica necessariamente falta de fé. Somente quando Deus nos tem dado uma promessa específica de que nos sarará, pode a fé reclamar essa cura. Por outro lado, devemos encomendamos ao nosso vivo e amante Senhor e orar para que se faça a Sua vontade.


Tradução de Carlos António da Rocha

****

Esta tradução é de livre utilização, desde que a sua ortografia seja respeitada na íntegra porque já está traduzida no Português do Novo Acordo Ortográfico e que não seja nunca publicada nem utilizada para fins comerciais; seja utilizada exclusivamente para uso e desfruto pessoal.

Sem comentários: