… Mas o melhor de tudo é crer em Cristo! Luís Vaz de Camões (c. 1524 — 1580)

domingo, 18 de dezembro de 2016

18 de dezembro



C. H. Spurgeon
Livro de Cheques do Banco da Fé
18 de dezembro
“Como as aves voam, assim o SENHOR dos Exércitos amparará a Jerusalém.” (Is 31:5, ARC, Pt)

Com um voo veloz se apressa a ave a proteger os seus filhos. Não desperdiça o tempo no caminho quando vem dar-lhes de comer ou guardá-los do perigo. Desta maneira, com asas de águia virá o Senhor para defender os Seus escolhidos; sim, Ele voará sobre as asas do vento.

A mãe, com asas estendidas, cobre os seus pequeninos no ninho. Esconde-os, interpondo o seu próprio corpo entre eles e o perigo. A galinha dá do seu próprio calor aos seus pintos e faz das suas asas uma casa, na qual eles moram contentes. Da mesma maneira, o próprio SENHOR faz-Se a protecção dos Seus escolhidos. Ele mesmo é o seu refúgio, a sua morada, o seu tudo.

Como aves voando e como aves que protegem (porque a palavra significa ambas as coisas) assim será o Senhor para connosco: e isto repetidamente e com êxito. Seremos defendidos e preservados de todo o mal: o Senhor, que Se compara às aves, não será como elas na sua debilidade, porque Ele é o SENHOR dos Exércitos. Que este seja o nosso consolo: O amor eterno está pronto para socorrer e seguro na protecção que dá. As asas de Deus são mais prontas e mais solícitas do que as asas de uma ave, e nós aninhar-nos-emos com a nossa confiança debaixo da Sua sombra, desde agora e para sempre.

Tradução de Carlos António da Rocha

****

Esta tradução é de livre utilização, desde que a sua ortografia seja respeitada na íntegra porque já está traduzida no Português do Novo Acordo Ortográfico e que não seja nunca publicada nem utilizada para fins comerciais; seja utilizada exclusivamente para uso e desfruto pessoal.

Sem comentários: