… Mas o melhor de tudo é crer em Cristo! Luís Vaz de Camões (c. 1524 — 1580)

quinta-feira, 22 de dezembro de 2016

22 de dezembro


William MacDonald
Um dia de cada vez
22 de dezembro
“Porque, se pecarmos voluntariamente, depois de termos recebido o conhecimento da verdade, já não resta mais sacrifício pelos pecados, mas uma certa expectação horrível de juízo, e ardor de fogo, que há de devorar os adversários.” (Hb 10:26-27, ARC, Pt)

Este é um dos versículos no Novo Testamento que inquieta em extremo a muitos cristãos ardentes e esmerados. Argumentam desta maneira: estou lutando com uma tentação que me leva a pecar. Sei que é mau e que não devo fazê-lo, e não obstante, sigo adiante e faço-o. Desobedeço deliberadamente

Parece-me que estou pecando voluntariamente. Portanto, este versículo soa-me como se tivesse perdido a minha salvação.

O problema surge porque tomam o versículo fora do seu contexto e fazem com que diga algo que jamais teve o propósito de dizer. O contexto tem de ver com o pecado da apostasia: o pecado daquele que professa ser crente durante algum tempo, mas que mais tarde repudia a fé cristã e se identifica com algum sistema que se opõe a Cristo. O apóstata é descrito no versículo 29: é alguém que pisou o Filho de Deus, teve por imundo o sangue do Pacto em que foi santificado e tem feito afronta ao Espírito de graça. Mostra, pelo seu amargo proceder, ao voltar-se contra Cristo, que nunca nasceu de novo.

Suponhamos que um homem escuta o Evangelho e desenvolve cálidos sentimentos para com a fé cristã. Deixa a sua religião ancestral e adopta o título de cristão sem ser genuinamente convertido. Porém, começa a perseguição e muda de opinião a respeito a ser identificado como cristão. Finalmente, decide voltar para a sua religião de antes. Mas não é assim tão fácil. Suponhamos que antes de o admitir os líderes decidem que o renegado se retracte. Para isto, montam uma pequena cerimónia pela qual este deve passar. Tomam o sangue de um porco e o aspergem pelo chão. Depois dizem-lhe: “Esse sangue representa o sangue de Cristo. Se queres voltar para a religião de teus pais, deves pisá-lo”. E ele assim o faz. Com efeito, está pisando o Filho de Deus e tendo por imundo o Seu sangue como uma coisa profana. Esse homem é um apóstata, cometeu o pecado voluntário.

Um verdadeiro crente não pode cometer este pecado voluntário. Pode cometer outros actos de pecado até sabendo que estão mal. Pode violar deliberadamente a sua consciência. Isto é grave aos olhos de Deus, e não devemos dizer nada que o desculpe. Mas, ainda pode encontrar perdão se confessa e abandona o seu pecado. Não é assim como o apóstata. Para ele o veredicto é que já não resta mais sacrifício pelos pecados (v. 26 b) e é impossível renová-lo para arrependimento (Hb 6:6)

Tradução de Carlos António da Rocha

****

Esta tradução é de livre utilização, desde que a sua ortografia seja respeitada na íntegra porque já está traduzida no Português do Novo Acordo Ortográfico e que não seja nunca publicada nem utilizada para fins comerciais; seja utilizada exclusivamente para uso e desfruto pessoal.

Sem comentários: