… Mas o melhor de tudo é crer em Cristo! Luís Vaz de Camões (c. 1524 — 1580)

sábado, 24 de dezembro de 2016

24 de dezembro



C. H. Spurgeon

Leituras Vespertinas
24 de dezembro

“A glória do SENHOR se manifestará, e toda a carne juntamente a verá.” (Is 40:5, ARC, Pt)


Antecipamos o dia feliz quando todos serão convertidos a Cristo; quando os deuses pagãos serão lançados às toupeiras e aos morcegos; quando o catolicismo, em sentido pejorativo, desaparecerá e o crescente de Maomé entrará no seu quarto minguante, para que jamais projete os seus raios funestos sobre as nações; quando os reis se inclinarão diante do Príncipe da Paz e todas as nações chamarão bendito ao seu Redentor. Alguns desesperarão disto. Eles olham para o mundo como um navio que se quebra e se desfaz, para nunca mais voltar a flutuar. Sabemos que o mundo e tudo o que há nele, tem um dia de ser queimado, e, depois esperamos por novos céus e por uma nova terra, mas não podemos ler as nossas Bíblias sem a convicção de que—

“Jesus reinará onde quer que o sol
Faz as suas sucessivas viagens.”

Nós não nos desanimamos pela Sua longa demora; não estamos desanimados pelo longo período de tempo previsto por Jesus à Igreja, em que esta deve debater-se entre o sucesso limitado e as frequentes derrotas. Cremos que Deus nunca permitirá que este mundo, depois de ter visto o sangue de Cristo derramado na cruz, seja para sempre a fortaleza do diabo. Cristo veio para libertar este mundo do domínio odiado dos poderes das trevas. Que brado de alegria haverá quando os homens e os anjos se unam para apregoar: “Aleluia, Aleluia, o Senhor Deus Omnipotente reina!” Que satisfação experimentaremos naquele dia por termos tido uma parte no combate, por termos ajudado a “quebrar as flechas do arco” e por termos ajudado a conquistar a vitória para o nosso Senhor! Abençoados são aqueles que confiam nesse Senhor vitorioso e combatem ao Seu lado, fazendo a pequena parte que lhes corresponde no nome e com o poder do Senhor! Quão infelizes são aqueles que estão do lado do mal! Porque esse é um lado perdedor. E perder neste combate é perder e perder-se para sempre. De que lado estás tu?


Tradução de Carlos António da Rocha

****

Esta tradução é de livre utilização, desde que a sua ortografia seja respeitada na íntegra porque já está traduzida no Português do Novo Acordo Ortográfico e que não seja nunca publicada nem utilizada para fins comerciais; seja utilizada exclusivamente para uso e desfruto pessoal.

Sem comentários: