… Mas o melhor de tudo é crer em Cristo! Luís Vaz de Camões (c. 1524 — 1580)

segunda-feira, 26 de dezembro de 2016

26 de dezembro de 1784 • Friedrich Osvald Sauerbronn, o primeiro pastor luterano do Brasil e da América Latina



26 de dezembro de 1784 Friedrich Osvald Sauerbronn, o primeiro pastor luterano do Brasil e da América Latina




Templo da Comunidade Luterana de Nova Friburgo – RJ (Brasil)
Após o "Grito do Ipiranga" que leva à independência do Brasil do Reino Unido de Portugal, do Brasil e do Algarve, e à fundação do Império do Brasil, Georg Anton von Schäffer ou Jorge Antônio von Schäffer, mais conhecido como o major Schäffer, é nomeado Agent d'Affaires Politiques (Agente de negócios públicos) por D. Pedro I, Imperador do Brasil e enviado para a Europa a 21 de agosto de 1822 com instruções de José Bonifácio de Andrada e Silva para que angarie militares e colonos para o novo Império do Brasil. Para bem levar a cabo os seus bons ofícios o major Schäffer passa por Viena, Munique, Frankfurt e Hanôver, antes de se estabelecer em Hamburgo.



Recrutar mercenários na Europa era proibido pelos países da Santa Aliança e pelo facto do Brasil ser denunciado por Portugal como um simples território rebelde, torna a missão do major Schäffer ainda mais difícil.



No início, o recrutamento buscava, principalmente, militares e alguns colonos, mas, à medida que a situação do Brasil se foi estabilizando, o número de militares enviados foi diminuindo e o número de colonos aumentando.



A primeira leva de 39 imigrantes alemães chega ao Brasil em 25 de julho de 1824, à então desativada Real Feitoria do Linho Cânhamo, localizada na margem esquerda do rio dos Sinos, dando início à Colónia de São Leopoldo.



Além de recrutar colonos, Schäffer também buscava contratar artífices com profissões necessárias à comunidade, como foi o caso do médico Johann Daniel Hillebrand e de pastores como Friedrich Osvald Sauerbronn, Georg Ehlers, Carl Leopold Voges e Friedrich Christian Klingelhoefer.



Em quatro anos, de 1824 a 1828, o major Schäffer conseguiu levar para o Brasil mais de seis mil pessoas, sendo que pelo menos metade eram rapazes solteiros e militares.



Em 1828, quando a imigração já não era mais do interesse do Imperador D. Pedro I e assim o major Schäffer regressa para o Brasil em 2 de julho de 1828. Apesar dos seus insistentes apelos para que imigrassem para o Brasil, o número de novos imigrantes alemães foi diminuindo até praticamente cessar em 1830.



Friedrich Osvald Sauerbronn nasce no dia de hoje, 26 de dezembro de 1784, na antiga cidade independente de Hilsbach, no sul do distrito de Rhein-Neckar-Kreis, em Baden-Württemberg na Alemanha



O Pastor Luterano Sauerbronn já havia sido pastor em Becherbach, na Alemanha, entre os anos de 1809 a 1821. Cristão maduro e experimentado, rondaria os 40 anos quando foi para o Brasil no navio Argus, a bordo do primeiro veleiro que leva imigrantes alemães para o Brasil, recrutado pelo major Schäffer.



Muito possivelmente ia englobado na primeira leva de 39 imigrantes alemães que chega em 25 de julho de 1824, à então desativada Real Feitoria do Linho Cânhamo, localizada à margem esquerda do rio dos Sinos, dando início à Colónia de São Leopoldo.



A viagem de veleiro foi longa e dura. Os pequenos navios eram muito desconfortáveis. Todos os buraquinhos eram ocupados com as parcas posses dos muitos tripulantes. E a maior parte dos tripulantes tinha de permanecer o tempo todo no convés do navio. Eram como reclusos e a vida era muito monótona e difícil a bordo do Argus. Tudo seria mais difícil e complicado com a esposa gravida em final do tempo para a família do Pastor Sauerbronn. Antes de alcançar a costa do Brasil nasce-lhe um bebé que a falta de cuidados fragiliza.



Em menos de duas semanas após a sua chegada ao Brasil morre-lhe o seu bebé. O Pastor Sauerbronn tolhido de dor, mas robustecido na fé no seu Salvador e Senhor, enfrenta uma dura prova. É preciso sepultar o seu filho, Peter Leopold. Não lhe foi permitido fazê-lo no cemitério da cidade, pois este era destinado somente para as famílias católicas. Para o enterro do seu filho, Friedrich Osvald,  Sauerbronn recebe a doação de um pedaço de terra, onde realizou o sepultamento e que dá origem ao Cemitério Evangélico Luterano de "Jardim da Paz".



Poucois meses após a sua chegada ao Brasil organiza os crentes alemães e funda em 3 de maio de 1824 a Comunidade Evangélica de Confissão Luterana de Nova Friburgo, RJ., tornando-e assim no primeiro pastor luterano do Brasil e da América Latina.



Os cultos realizaram-se, inicialmente, numa pequena casa. O próprio pastor Sauerbronn relata que residiu em duas choupanas de taquara e barro, abandonadas pelos suíços. E numa casa semelhante de 10x16 pés, na qual não havia banco, púlpito e nem altar, celebrou o primeiro culto em 14 de julho de 1824.



Em 1827 construíram uma pequena Casa de Oração, mas tiveram que demoli-la a mando das autoridades. Somente em 1857 puderam edificar uma segunda, mas ainda seria uma precária Casa de Oração, na Praça do Pelourinho (atual Praça Paissandu). Nela havia, tão somente, uma mesa de altar, coberta com um pano preto, e um crucifixo prateado.



Sauerbronn também visitou até 1847 os crentes evangélicos do Rio de Janeiro e de outras cidades vizinhas. Vemo-lo, constantemente, a caminho. Os seus membros residiam muito espalhados no meio das serranias quase inacessíveis. E grande parte deles seguiu rumo para ass fazendas de café em Cantagalo e arredores. Segundo Sauerbronn, a metade dos colonos tomou este rumo. A partir de 1868, muitas famílias luteranas começaram a colonizar a região de Manhuaçu-MG, sendo Wilhelm Eller o pioneiro.



Quando Sauerbronn já era bastante idoso, começou a ser assessorado pelo jovem suíço Johann Caspar Meyer, que imigrara para o Brasil em 1854.



Em 01 de julho de 1864 o presbitério nomeou Johann Caspar Meyer pastor e sucessor de Sauerbronn.



Não será difícil adivinhar as suas grandes e constantes lutas numa nova terra com uma nova língua em prol do reino de Deus! Não tenho dúvidas de que o Pastor Sauerbronn “foi vigilante em tudo, suportou as dificuldades, comportou-se como um mensageiro do Evangelho e cumpriu a sua missão. “Ofereceu a sua vida em sacrifício” durante 43 anos de pastorado no Brasil. “O tempo da sua morte chegou” aos 82 anos, a 4 de dezembro de 1867, em Nova Friburgo, nos Brasil. O Pastor Sauerbronn “lutou pela boa causa, percorreu o seu caminho e guardou a fé.” “Só lhe resta agora receber a merecida recompensa, que o Senhor lhe dará no dia do juízo.”

****

Fontes Utilizadas:

Vários “Sítios” e enciclopédias na Internet e ainda algumas obras em papel.

Respigado daqui e dali.

Carlos António da Rocha



Este texto é de livre utilização, desde que a sua ortografia seja respeitada na íntegra porque já está escrito com o Português do Novo Acordo Ortográfico e que não seja nunca publicado nem utilizado para fins comerciais; seja utilizado exclusivamente para uso e desfruto pessoal.

Sem comentários: