… Mas o melhor de tudo é crer em Cristo! Luís Vaz de Camões (c. 1524 — 1580)

segunda-feira, 26 de dezembro de 2016

26 de dezembro

C. H. Spurgeon
Livro de Cheques do Banco da Fé
26 de dezembro
“Mas Pedro, respondendo, disse-lhe: Ainda que todos se escandalizem em Ti, eu nunca me escandalizarei.” (Mt 26:33, ARC, Pt)

“Como”, poderia exclamar alguém, “esta não é uma promessa de Deus.” Isso é correcto, mas foi uma promessa de um homem, e portanto, converteu-se em nada: Pedro pensou que estava dizendo algo que cumpriria de modo segurado; mas uma promessa que não tem um melhor alicerce que uma resolução humana, cairá por terra. Tão logo que surgiu a tentação, Pedro negou o seu Senhor, e recorreu a juramentos para confirmar a sua negação.

O que é a palavra de um homem? Uma vasilha de barro que se quebra com um golpe. Que coisa é a tua própria resolução? Um botão de flor que, com o cuidado de Deus, pode tornar-se em fruto, mas que, deixado a si mesmo, cairá ao solo com o primeiro vento que agite o ramo.

Da palavra de um homem pende unicamente o que possa suportar.

Não dependas absolutamente da tua própria resolução.

Da promessa do teu Deus pendem o tempo e a eternidade, este mundo e o vindouro, o teu tudo e o tudo de todos os teus seres queridos.

Este volume é um livro de cheques para crentes, e esta página tem o propósito de ser uma advertência quanto a qual banco vão, e qual a assinatura que nos cheques aceitam. Apoiem-se em Jesus sem limites. Não confiem em vós mesmos nem em ninguém nascido de mulher, além dos devidos limites; mas, confiem, única e plenamente no Senhor.


Tradução de Carlos António da Rocha

****

Esta tradução é de livre utilização, desde que a sua ortografia seja respeitada na íntegra porque já está traduzida no Português do Novo Acordo Ortográfico e que não seja nunca publicada nem utilizada para fins comerciais; seja utilizada exclusivamente para uso e desfruto pessoal.

Sem comentários: