… Mas o melhor de tudo é crer em Cristo! Luís Vaz de Camões (c. 1524 — 1580)

segunda-feira, 26 de dezembro de 2016

26 de dezembro




C. H. Spurgeon

Leituras Vespertinas

26 de dezembro

“Eis que Eu estou convosco, todos os dias.” (Mt 28:20 ARC, Pt)

O Senhor Jesus está no meio da Sua Igreja e caminha entre os castiçais de ouro. A Sua promessa é: “Eis que Eu estou convosco, todos os dias.” Jesus está tão realmente connosco agora, como esteve com os Seus discípulos junto do lago quando “viram ali brasas, e um peixe posto em cima, e pão.” Ainda que não no corpo, Jesus, no entanto, está realmente connosco. Esta é uma bendita verdade, pois onde Jesus está presente, o amor é inflamado. De todas as coisas do mundo que podem fazer arder o coração, não há nenhuma igual à presença de Jesus! Um olhar Seu conquista-nos de tal maneira que nós estamos prontos a dizer: “Aparta os Teus olhos de mim porque ele me viram.” A fragrância do aloés, da mirra e da cássia que exalam das Suas perfumadas vestes reconfortam o enfermo e o abatido. Se por um só momento reclinamos as nossas cabeças no Seu bondoso peito e recebemos o Seu divino amor em nossos corações frios, não seremos mais frios na vida espiritual, mas arderemos como os serafins e estaremos prontos para trabalhar e sofrer. Se reconhecemos que Jesus Cristo está connosco, todas as nossas faculdades se desenvolverão e toda a graça se corroborará, e começamos a servir ao Senhor com coração, alma e força. Isto mostra que a presença de Jesus será mais sentida por aqueles que são mais parecidos com Ele. Se desejas ver Cristo, tens de desenvolver-te em conformidade com Ele. Faz teus, pelo poder do Espírito, os desejos, as motivações e os planos de ação de Cristo e, provavelmente, serás favorecido com a Sua presença. Lembra-te que a presença de Jesus pode ser alcançada. A Sua presença é tão real como sempre. Ele regozija-Se de estar connosco. Se Ele não chega, é porque, devido à nossa indiferença, O impedimos. Ele revelar-Se-á em resposta às nossas orações ardentes, e bondosamente permitirá que O detenhamos com as nossas súplicas e com as nossas lágrimas, pois estas são as correntes de ouro que atam Jesus aos Seus seguidores.

Tradução de Carlos António da Rocha

****

Esta tradução é de livre utilização, desde que a sua ortografia seja respeitada na íntegra porque já está traduzida no Português do Novo Acordo Ortográfico e que não seja nunca publicada nem utilizada para fins comerciais; seja utilizada exclusivamente para uso e desfruto pessoal.

Sem comentários: