… Mas o melhor de tudo é crer em Cristo! Luís Vaz de Camões (c. 1524 — 1580)

terça-feira, 27 de dezembro de 2016

27 de dezembro



William MacDonald
Um dia de cada vez
27 de dezembro
“O Meu corpo que é partido por vós.” (1Co 11:24, ARC, Pt)
Amy Carmichael enumera numa lista por ela elaborada quatro coisas quebradas que figuram na Bíblia e os resultados conseguidos por elas:

Cântaros quebrados (Jz 7:18,19), e a luz brilhou.

Um vaso de alabastro quebrado (Mc 14:3), e o perfume derramou-se.

Pão partido (Mt 14:19), e a multidão foi alimentada.

Um Corpo partido (1Co 11:24), e o mundo foi redimido.

É nosso privilégio acrescentar um quinto à lista: uma vontade quebrantada, e o resultado é uma vida inundada de paz e de realização.

Muitos que foram à Cruz para salvação nunca ali foram procurando o quebrantamento da sua vontade. Podem ter uma disposição gentil e aprazível, nunca terem falado num tom de voz mais alto que um sussurro, terem uma aparência externa de espiritualidade e não obstante, terem uma vontade de aço que os impede de alcançar na vida o melhor para Deus.

Algumas vezes acontece com jovens que estão apaixonados e consideram a possibilidade do matrimónio. Os pais e amigos, com juízo sábio e amadurecido, conhecedo-os bem, podem ver que o seu casamento nunca funcionará. Mas, o casal, teimoso, rejeita qualquer conselho, não quer ouvir. As mesmas vontades intratáveis que os guiam ao altar matrimonial, levam-nos um pouco mais tarde ante o tribunal do divórcio.

Temos visto com cristãos que estão determinados a entrar em certo negócio quando claramente não têm nem a experiência nem o conhecimento necessários para o orientar. Contra o conselho de associados conhecedores, esbanjam o seu próprio dinheiro e amiúde o dinheiro emprestado de amigos bondosos. Acontece o inevitável. O negócio fracassa e entram os credores para levar-lhe tudo.

Não é estranho ver os efeitos daninhos de uma vontade não quebrantada no serviço cristão. Esta leva a um homem e a sua família até ao campo de missão só para repatriá-lo num ano com grande custo para a Igreja que o enviou. Esgota os recursos dos cristãos crédulos que financiam um projecto que foi ideia do homem, não de Deus, um projeto que resulta ser contraproducente. É uma pessoa que se nega a trabalhar cooperativamente com outros gerando luta e infelicidade.

Todos precisamos de ser quebrantados, tomar toda a nossa obstinação, toda a nossa teima e levá-las ao pé da Cruz. Essa vontade de aço deve ser posta sobre o altar do sacrifício. Todos temos que dizer com Amy Carmichael:

Tu foste quebrantado, Senhor, por mim,
Seja eu quebrantado, Senhor, por amor a Ti.


Tradução de Carlos António da Rocha

****

Esta tradução é de livre utilização, desde que a sua ortografia seja respeitada na íntegra porque já está traduzida no Português do Novo Acordo Ortográfico e que não seja nunca publicada nem utilizada para fins comerciais; seja utilizada exclusivamente para uso e desfruto pessoal.

Sem comentários: