… Mas o melhor de tudo é crer em Cristo! Luís Vaz de Camões (c. 1524 — 1580)

terça-feira, 27 de dezembro de 2016

27 de dezembro


C. H. Spurgeon
Livro de Cheques do Banco da Fé
27 de dezembro
“Porque os montes se retirarão, e os outeiros serão abalados; porém a Minha benignidade não se apartará de ti, e a aliança  da Minha paz não mudará, diz o SENHOR que se compadece de ti.” (Is 54:10, ARC, Pt)

Uma das qualidades mais encantadas do amor divino é o seu caracter permanente. As colunas da Terra poderiam ser mudadas de seus lugares, mas a misericórdia e o pacto do nosso longânimo Jeová nunca se apartam do Seu povo. Quão feliz se sente a minha alma com uma firme crença nesta declaração inspirada! O ano quase terminou, e os anos que restam são cada vez mais escassos, mas o tempo não muda o meu Senhor. Novas lâmpadas ocupam o lugar das velhas, e há uma mudança perpétua em todas as coisas; mas o nosso Senhor é o mesmo sempre. A força transtorna as colinas, mas nenhum poder concebível pode afectar ao Deus Eterno. Nada no passado, nem no presente nem no futuro pode fazer com que Jeová seja áspero comigo.

A minh’alma, descansa na eterna misericórdia do Senhor, que te trata como a um familiar. Recorda, também, o Pacto Eterno. Deus tem-no sempre presente: assegura-te de o teres tu também presente. Em Cristo Jesus o Deus glorioso tem-Se comprometido contigo a ser o teu Deus, e a conservar-te como alguém do Seu povo. A Misericórdia e o Pacto: considera estas palavras como coisas seguras e duradouras que nem a própria eternidade te poderá arrebatar.


Tradução de Carlos António da Rocha

****

Esta tradução é de livre utilização, desde que a sua ortografia seja respeitada na íntegra porque já está traduzida no Português do Novo Acordo Ortográfico e que não seja nunca publicada nem utilizada para fins comerciais; seja utilizada exclusivamente para uso e desfruto pessoal.

Sem comentários: