… Mas o melhor de tudo é crer em Cristo! Luís Vaz de Camões (c. 1524 — 1580)

sábado, 3 de dezembro de 2016

3 de dezembro



Oswald Chambers 
My Utmost for His Highest
3 de dezembro “NÃO POR FORÇA, NEM POR VIOLÊNCIA”

“A minha palavra e a minha pregação não consistiram em palavras persuasivas de sabedoria humana, mas em demonstração do Espírito e de poder.” (1Co 2: 4, ARC, Pt)

Se na pregação do evangelho substituis a confiança no poder do evangelho pelo teu conhecimento do caminho da salvação, impedes as pessoas de receberem a verdade. Toma cuidado para veres quando proclamas o teu conhecimento do caminho da salvação, que tu mesmo estás arraigado e alicerçado pela fé em Deus. Nunca confies na clareza da tua apresentação, mas enquanto apresentas a tua explanação, assegura-te de que estás confiando no Espírito Santo. Põe a tua confiança na segurança do poder redentor de Deus, e Ele criará a Sua própria vida nas pessoas.

Uma vez que tu estás arraigado na verdade, nada te pode abalar. Se a tua fé se baseia em experiências, qualquer coisa que acontece é susceptível de perturbar essa fé. Mas nada pode mudar Deus ou a realidade da redenção. Baseia a tua fé nisto, e tu estás tão eternamente seguro como o próprio Deus. Uma vez que tu tens um relacionamento pessoal com Jesus Cristo, nunca serás mudado do teu lugar, novamente. Esse é o significado da santificação. Deus desaprova os nossos esforços humanos, que se agarram ao conceito de que a santificação é apenas uma experiência, embora esquecendo-nos que até mesmo a nossa santificação deve também ser santificada (ver João 17:19). Devo dar deliberadamente a minha vida santificada a Deus para o Seu serviço, para que Ele possa usar-me como as Suas mãos e os Seus pés.


Tradução de Carlos António da Rocha

****

Esta tradução é de livre utilização, desde que a sua ortografia seja respeitada na íntegra porque já está traduzida no Português do Novo Acordo Ortográfico e que não seja nunca publicada nem utilizada para fins comerciais; seja utilizada exclusivamente para uso e desfruto pessoal.

Sem comentários: