… Mas o melhor de tudo é crer em Cristo! Luís Vaz de Camões (c. 1524 — 1580)

domingo, 4 de dezembro de 2016

4 de dezembro

William MacDonald
Um dia de cada vez
4 de dezembro
“Enchi-o do Espírito de Deus... em toda a arte.” (Êxodo 31:3, RV60 ‘traduzida’)

O texto de hoje refere-se a Besaleel, que foi equipado pelo Espírito Santo para fiscalizar a construção do Tabernáculo. Era destro para trabalhar o ouro, a prata e o bronze, para cortar e engastar pedras e esculpir a madeira. O Espírito de Deus fez dele um hábil artesão para realizar este tipo de trabalho.


O calendário devocional “Choice Gleanings” cita a E. Tramp, dizendo: “Geralmente passamos por cima deste aspeto do ministério do Espírito. Seja no campo ou na fábrica, no escritório ou no lar, o crente pode pedir a assistência do Espírito nos trabalhos diários. Um homem que conheço tem feito um altar do seu banco de trabalho. Uma Marta entre nós converteu a mesa da sua cozinha numa mesa de comunhão. Outro transformou num púlpito a secretária do seu escritório de onde fala e escreve, fazendo com que os assuntos mais comuns sejam negócios do Rei”.



Em Nazaré, Israel, há um hospital cristão que ministra principalmente aos árabes. Nos terrenos do hospital há uma capela. Quando um pregador se levanta para falar, põe-se por detrás de um púlpito normal, mas este situa-se ao lado de outro púlpito dum gasto banco de carpinteiro que tem um torno num dos extremos. Este é um iniludível aviso de que o nosso Senhor trabalhou como carpinteiro em Nazaré e que um banco de carpinteiro foi o Seu púlpito.



Um médico na região central dos Estados Unidos procurava atender tanto às almas dos homens assim como aos seus corpos. Algumas vezes, depois de falar com alguma pessoa na clínica e de a haver examinado cuidadosamente, suspeita que o problema é mais espiritual do que físico. Nessa noite vai a casa do paciente e bate-lhe à porta. Logo, o paciente assusta-se ao ver o médico. Mas, o médico amavelmente se apressa a dizer algo como: “Não venho vê-lo como médico, mas visitá-lo como amigo. Há algo de que eu gostaria de falar consigo. Posso entrar?” Com certeza que a pessoa não se incomodava, de modo que o médico começava a falar-lhe da sua necessidade espiritual e então explicava-lhe como o Senhor Jesus era a resposta para essa necessidade. Muitos dos pacientes encomendaram as suas vidas ao Senhor e serviram-nO. Muitos estarão eternamente agradecidos pelo ministério daquele médico amado que cuidava tanto das suas almas como dos seus corpos.



O Senhor tem muitos púlpitos pouco convencionais no mundo. Como dizia Tramp, muitos aprenderam a transformar os assuntos comuns da vida em negócios do Rei.



Tradução de Carlos António da Rocha

****

Esta tradução é de livre utilização, desde que a sua ortografia seja respeitada na íntegra porque já está traduzida no Português do Novo Acordo Ortográfico e que não seja nunca publicada nem utilizada para fins comerciais; seja utilizada exclusivamente para uso e desfruto pessoal.

Sem comentários: