… Mas o melhor de tudo é crer em Cristo! Luís Vaz de Camões (c. 1524 — 1580)

quarta-feira, 25 de janeiro de 2017

25 de janeiro de 1366 • Henrique Suso, o Amandus


25 de janeiro de 1366 Henrique Suso, 

o Amandus

Nascido na ilha de Constança, na Alemanha, no dia 21 de março de 1295, Henrique Suso é um dos principais representantes do movimento religioso, que floresce na região do Reno, no início do século XIV. Religioso dominicano, escritor e místico, torna-se num dos teólogos alemães mais conhecidos, pela caraterística da singular doçura da sua espiritualidade e pela clareza do conceito transmitido de que a vida interior é acessível a todas as almas crentes no sacrifício de Jesus Cristo.



O seu pai um rico comerciante, não muito religioso, da nobre dinastia dos Berg, e sua mãe, uma senhora muito pia, da tradicional família cristã dos Suese ou Suso, forma latina do nome. Henrique prefere manter o sobrenome da mãe. Desde a infância é educado pelos dominicanos, onde demonstra a sua vocação religiosa já nesta época. Aos treze anos, ingressou como noviço no convento de São Nicolau, desta Ordem, em Constança, período em que desenvolve muito, sua espiritualidade.



Aos dezasseis anos, Henrique Suso vive um período escuro de fé incerta, que supera com as penitências rigorosas e  com as orações contemplativas. Dois anos depois, coroa a sua completa conversão, marcando com ferro em brasa o nome de Jesus, no lado esquerdo do seu peito. Isto ocorre, após uma experiência mística, na qual, vê um anjo unindo o coração dele ao do Cristo. A partir de então, o seu zelo traduz-se numa entrega espiritual mais prudente; Deus fá-lo compreender que a melhor mortificação consiste em ele aceitar com resignação as provas enviadas por Ele.



No convento dominicano em Constança, Henrique Suso faz os estudos preparatórios, filosóficos e teológicos. Depois é enviado para o Colégio Geral de Estrasburgo e finalmente para a universidade de Colónia, onde conclui os estudos com distinção. Ao contrário de uma carreira brilhante eclesiástica, Henrique Suso prefere regressar a Constança, em 1329, como professor de Teologia no colégio dos dominicanos. Aí, durante os sete anos seguintes, escreve as suas obras mais importantes: O Livro da Sabedoria Eterna e O Livro da Verdade. Neles, Henrique Suso narra com simplicidade e clareza os mistérios da alma, que desvenda através dos seus colóquios íntimos com Cristo, veiculados pelas orações silenciosas e experiências contemplativas.



Em 1336, Henrique sente que era hora de partir para o apostolado peregrino. Viaja por toda a Alemanha, passando pela Suíça e Países Baixos, tornando-se num incansável pregador itinerante do evangelho de Cristo. Durante quatro anos, até 1943 é o diretor geral do convento alemão de Turgovia. Depois é transferido para o de Ulm, no qual permanece até morrer, neste dia, 25 de janeiro de 1366.

****

Fontes Utilizadas:
Vários “Sítios” e enciclopédias na Internet e ainda algumas obras em papel.
Respigado daqui e dali.

Carlos António da Rocha

Este texto é de livre utilização, desde que a sua ortografia seja respeitada na íntegra porque já está escrito com o Português do Novo Acordo Ortográfico e que não seja nunca publicado nem utilizado para fins comerciais; seja utilizado exclusivamente para uso e desfruto pessoal.

Sem comentários: