… Mas o melhor de tudo é crer em Cristo! Luís Vaz de Camões (c. 1524 — 1580)

domingo, 22 de janeiro de 2017

22 de janeiro de 1913 • Carl F. H. Henry, uma voz evangélica erudita

22 de janeiro de 1913 Carl F. H. Henry, 
uma voz evangélica erudita

Nascido neste dia, 22 de janeiro de 1913, de pais imigrantes alemães, na cidade de Nova York, Carl F. H. Henry não foi criado num ambiente familiar religioso. Em 1933, quando era editor do The Smithtown Star e de uma coluna do The New York Times, Henry conheceu um homem chamado Gene Bedford. Passaram três horas conversando sobre a fé cristã, e depois disso oraram o “Pai Nosso” juntos. Henry converteu-se à fé cristã naquele mesmo instante e ficou convencido de que deveria frequentar a faculdade para preparar-se para o serviço cristão. Frequentou o Wheaton College, reconhecendo que “a fé sem a razão de pouco vale, e essa razão não é inimiga, mas aliada da fé genuína, ademais, a ressureição de Jesus é um evento histórico.”

Henry prosseguiu os estudos superiores em Wheaton, obtendo um título de mestre, foi para o Northern Baptist Theological Seminary, onde obteve o doutorado em teologia após ser ordenado pastor batista e posteriormente em Boston obteve seu segundo doutorado. Em 1947, foi publicada a obra A inquieta consciência do fundamentalismo moderno (The Uneasy Conscience of Modern Fundamentalism) exigiu que os fundamentalistas se retratassem com a sociedade. “Dentre as minhas preocupações”, escreveu, “estava o engajamento dos evangélicos na discussão dos problemas sociais e culturais, para ajudar a definir um autêntico envolvimento.” Henry tornou-se o editor da revista Christianity Today em 1955 até 1968. Nas décadas de setenta e oitenta Henry ajudou a forjar uma geração de líderes evangélicos ao servir nos conselhos da Prison Fellowship, do Institute for Religion and Democracy, e o Ethics and Public Policy Center. Um hábil entusiasta e defensor do serviço evangélico em muitas facetas da sociedade, Henry pensava em visões panorâmicas de cooperação evangélica e de co-beligerância em favor de preservar e articular os valores bíblicos, enquanto insistentemente pedia pelo arrependimento e renovação dos evangélicos por incursões anteriores na política, na ação social, na imprensa e na educação superior.

Ao receber o prémio Henry the Mark O. Hatfield Leadership Award do Christian Council of Colleges and Universities no ano de 2000, o reitor da Union University, David S. Dockery disse: “Poucas pessoas no século XX fizeram mais para articular a importância de uma visão do mundo e de vida cristãs coerentes do que Carl F. H. Henry. Nenhuma faculdade ou Universidade norte-americana transmite o compromisso de integração de fé e erudição sem a influência de Henry, até mesmo se muitos dos nossos campi não se apercebam de tal influência.”

Carl Ferdinand Howard Henry morreria em 7 de dezembro de 2003, aos 90 anos.


****

Fontes Utilizadas:
Vários “Sítios” e enciclopédias na Internet e ainda algumas obras em papel.
Respigado daqui e dali.

Carlos António da Rocha

Este texto é de livre utilização, desde que a sua ortografia seja respeitada na íntegra porque já está escrito com o Português do Novo Acordo Ortográfico e que não seja nunca publicado nem utilizado para fins comerciais; seja utilizado exclusivamente para uso e desfruto pessoal.

Sem comentários: