… Mas o melhor de tudo é crer em Cristo! Luís Vaz de Camões (c. 1524 — 1580)

quarta-feira, 15 de fevereiro de 2017

15 de fevereiro de 1537 • Os Artigos de Esmalcalde



15 de fevereiro de 1537 Os Artigos de Esmalcalde

UB Heidelberg, Cod. Pal. germ. 423 (Livaraia da Unisersidade de University, Cod Pal. alemão 423)

Os Artigos de Esmalcalde (Em alemão: Schmalkaldische Artikel) são um resumo da doutrina luterana, escritos por Martinho Lutero e concluídos neste dia, 15 de fevereiro de 1537, para serem apresentados numa reunião da liga de Esmalcalde, a fim deles serem preparados e aprovados, serem apresentados como um documento da doutrina luterana num concílio ecuménico da Igreja que se tentava que fosse levado a cabo. O protetor de Lutero, o eleitor João Frederico I da Saxónia, pediu-lhe que ele preparasse esses Artigos para a reunião da Liga de Esmalcalde em 1537, que se voltaria a efetuar em Esmalcalde. A Liga havia-se organizado em 1531 como a união de vários territórios e cidades luteranas, para se dotar de uma frente unida, militar e politicamente, contra os políticos e exércitos católicos romanos, comandados pelo imperador Carlos V. Quando a Liga de Esmalcalde se reuniu, Lutero encontrava-se muito enfermo com um caso severo de cálculos renais, pelo que não pôde assistir à reunião. A Liga, finalmente, decidiu não adotar os Artigos que Lutero havia escrito. O que se passou é que os participantes foram influenciados por Philipp Melanchthon para não adotarem os Artigos de Esmalcalde, porque ele estava preocupado que o documento escrito por Lutero fosse considerado como divisor, isto é que causa-se mais discórdia, por alguns. Então os participantes na Liga de Esmalcalde propuseram a Melanchthon que ele escrevesse uma declaração clara sobre o Papado, o que ele fez, e esse documento foi adotado nessa mesma reunião como o “Tratado sobre o Poder a Primazia do Papa”. Os Artigos de Esmalcalde foram muito valorizados pelo eleitor João Frederico que ordenou que eles fizessem parte do seu último desejo e testamento. E embora os Artigos de Esmalcalde não tenham sido adotados nesta reunião da Liga de Esmalcalde em 1537, contudo eles foram muito usados e foram até incorporados no “Livro de Concórdia” em 1580, que é uma das Confissões Luteranas de fé.

Lutero resumiu o que o considerava ser o ensino mais importante do Cristianismo:

“O primeiro e mais importante artigo é este: Jesus Cristo, nosso Deus e Senhor, morreu pelos nossos pecados e foi ressuscitado para nossa justificação (Romanos 3:24-25). Só Ele é o Cordeiro de Deus que tira os pecados do mundo (João 1:29), e Deus carregou nEle a iniquidade de todos nós (Isaías 53:6). Todos pecaram e são justificados gratuitamente, sem as suas próprias obras e méritos, pela Sua graça, através da redenção que há em Cristo Jesus, no Seu sangue (Romanos 3:23-25). Isto é o que é necessário crer. Isto não se pode adquirir ou entender por nenhuma obra, lei ou mérito. Portanto, é claro e certo que só esta fé nos justifica... Nada deste artigo se pode renunciar ou abandonar, ainda que o céu e a terra e todo o resto caísse (Marcos 13:31).”

Ainda que nunca se tenha levado a cabo o referido concílio ecuménico da Igreja, os Artigos de Esmalcalde vieram a ser um suplemento às outras Confissões da Igreja Luterana e que continuam a ser usados ainda mesmo nos dias de hoje. Estão incluídos no Livro de Concórdia.


****

Fontes Utilizadas:
Vários “Sítios” e enciclopédias na Internet e ainda algumas obras em papel.
Respigado daqui e dali.

Carlos António da Rocha

Este texto é de livre utilização, desde que a sua ortografia seja respeitada na íntegra porque já está escrito com o Português do Novo Acordo Ortográfico e que não seja nunca publicado nem utilizado para fins comerciais; seja utilizado exclusivamente para uso e desfruto pessoal.

Sem comentários: