… Mas o melhor de tudo é crer em Cristo! Luís Vaz de Camões (c. 1524 — 1580)

terça-feira, 7 de fevereiro de 2017

7 de fevereiro


C. H. Spurgeon
Leituras Matutinas
7 de fevereiro

“Levantai-vos e andai.” (Mq 2:10, ARC, Pt)

A HORA aproxima-se quando esta mensagem virá a nós, como vem a todos: “Levante-te e sai da casa em que habitas, da cidade na qual tens feito os teus negócios, da tua família e dos teus amigos. Levanta-te e empreende a tua última viagem.” E o que sabemos nós dessa viagem? O que sabemos do país ao qual estamos destinados? Um pouco temos lido dele, alguma coisa nos foi revelado pelo Espírito Santo, mas quão pouco sabemos do reino do futuro! Sabemos que há um obscuro e tormentoso rio chamado “Morte.” Deus manda-nos cruzá-lo e promete estar connosco. E, o que vem depois da morte? Que mundo maravilhoso se apresentará ante a nossa vista surpreendida? Que cena de glória se desdobrará diante de nós? Nenhum viajante jamais regressou de lá para dizer-nos. Mas, nós sabemos o suficiente da pátria celestial, para respondermos com gozo e alegria ao convite que Ele nos faz para irmos para lá. A viagem da morte pode ser tenebrosa, mas nós poderemos empreendê-la sem temor, sabendo que Deus estará connosco quando andarmos no vale da sombra da morte; e, portanto, não teremos necessidade de temer mal algum. Seremos separados de tudo o que conhecemos e amamos aqui, mas iremos à casa do nosso Pai, ao lar do nosso Pai, onde está Jesus, iremos àquela real “cidade que tem fundamentos, da qual o artífice e construtor é Deus.” Esta será a nossa última separação para irmos habitar para sempre com Aquele a quem amamos, no meio do Seu povo e na presença de Deus. Cristão, medita muito no Céu, isto ajudar-te-á a seguir adiante e esquecer a fadiga do caminho. Este vale de lágrimas não é outra coisa que o caminho real que nos conduz à melhor pátria: este mundo de aflição não é mais do que as alpondras (o trampolim) que nos leva a um mundo de beatitude.

“Prepara-nos, Senhor, por graça divina,
Para a Tua brilhante corte no Céu;
Então manda que o nosso espírito suba, e se junte
Ao coro do Céu.”


Tradução de Carlos António da Rocha

****

Esta tradução é de livre utilização, desde que a sua ortografia seja respeitada na íntegra porque já está traduzida no Português do Novo Acordo Ortográfico e que não seja nunca publicada nem utilizada para fins comerciais; seja utilizada exclusivamente para uso e desfruto pessoal.

Sem comentários: