… Mas o melhor de tudo é crer em Cristo! Luís Vaz de Camões (c. 1524 — 1580)

terça-feira, 7 de fevereiro de 2017

7 de fevereiro



 C. H. Spurgeon

Leituras Vespertinas
7 de fevereiro

“E ouviram uma grande voz do céu, que lhes dizia: Subi cá.” (Apo 11:12, ARC, Pt)

DEIXANDO de lado a consideração destas palavras na sua conexão profética, consideremo-las como o convite do nosso Grande Precursor ao Seu santificado povo. No devido tempo “uma grande voz do céu” será dirigida a cada crente, dizendo-lhe: “Subi cá.” Isto deveria ser para os santos o assunto de jubiloso antegozo. Em lugar de temermos o tempo quando deixaremos este mundo para irmos para o Pai, deveríamos estar suspirando pela hora da nossa emancipação. O nosso canto devia ser —

«Meu coração está com Ele no Seu trono,
E mal pode tolerar a demora;
Cada momento estando à escuta da expressão,
‘Levanta-te e vai-te embora.’»

Nós não somos chamados para baixo, à sepultura, mas para cima, para o Céu. Os nossos espíritos, nascidos para o Céu, deveriam suspirar pelo seu ambiente nativo. Contudo, a chamada celestial deveria ser objeto de paciente espera. O nosso Deus sabe melhor do que nós quando deve chamar-nos “Subi cá.” Não devemos desejar antecipar o momento da nossa partida. Sei que um forte amor nos fará exclamar:

“Oh!, Senhor dos Exércitos, divide as ondas
e todos nós desembarcaremos no Céu.”

Mas a paciência deve ter a sua obra perfeita. Deus ordena com perfeita sabedoria o tempo mais apropriado em que os redimidos devem viver aqui. Sem dúvida, se o pesar pudesse experimentar-se no Céu, os santos lamentariam não ter vivido mais tempo aqui para fazer mais bem. Oh, ansiamos por mais feixes para os celeiros do Senhor! Mais jóias para a Sua coroa! Mas, como consegui-lo sem obrar mais? É certo que temos de considerar o outro lado do assunto, pois vivendo aqui menos tempo, os nossos pecados serão menos. Mas oh, quando estamos inteiramente servindo ao Senhor, e Ele nos permite semear a preciosa semente e recolher a cem vezes mais, estamos tentados a dizer que é bom para nós ficarmos onde estamos. Quer o nosso Senhor diga, “Vem”, ou nos diga, “Fica”, estejamos igualmente contentes, enquanto Ele nos favorece com a Sua presença.


Tradução de Carlos António da Rocha

****

Esta tradução é de livre utilização, desde que a sua ortografia seja respeitada na íntegra porque já está traduzida no Português do Novo Acordo Ortográfico e que não seja nunca publicada nem utilizada para fins comerciais; seja utilizada exclusivamente para uso e desfruto pessoal.

Sem comentários: