… Mas o melhor de tudo é crer em Cristo! Luís Vaz de Camões (c. 1524 — 1580)

quarta-feira, 8 de fevereiro de 2017

8 de fevereiro


Oswald Chambers 
My Utmost for His Highest


8 de fevereiro O custo da santificação

E o Mesmo Deus de paz vos santifique em tudo...” (1Ts 5:23, ARC, Pt)

Quando pedimos a Deus, em oração, que nos santifique, estamos nós dispostos a viver à altura do que isso realmente significa? Tomamos com muita leviandade o termo santificação. Estamos dispostos a pagar o custo da santificação? Este custo implica uma forte restrição de todos os nossos interesses terrestres e um amplo cultivo de todos nossos interesses em Deus. A santificação significa estar concentrados profundamente no ponto de vista de Deus. Significa resguardar e manter toda a força do nosso corpo, alma e espírito, unicamente para o propósito divino. Estamos realmente dispostos a que Deus faça em nós tudo aquilo para o qual Ele nos separou? E depois que Ele tenha executado a Sua obra, estamos dispostos a separarmo-nos a nós mesmos para Deus, exactamente como Jesus fez? “Por eles me santifico a Mim Mesmo ...” (Jo 17:19, ARC, Pt). A razão por que alguns de nós não temos participado da experiência de santificação é porque não entendemos o seu significado conforme a perspectiva divina. A santificação significa ser feitos um com Jesus, de tal forma que a natureza que o controlava a Ele nos controle a nós também. Estamos nós realmente preparados para pagar o preço que isso irá custar? Vai-nos custar absolutamente tudo o que há em nós que não é de Deus.

Estamos dispostos a ser arrebatados pela força desta oração de Paulo? Estamos preparados para dizer: “Senhor, faz-me a mim, um pecador salvo pela graça, tão santo como Tu possas”? Jesus orou para que fôssemos um com Ele, assim como Ele é um com o Pai (ver Jo 17:21-23). A única evidência do Espírito Santo na vida de uma pessoa é a inconfundível parecença familiar com Jesus Cristo e o desapego de tudo o que não seja como Ele. Estamos nós dispostos a apartarmo-nos para a obra do Espírito Santo em nossas vidas?


Tradução de Carlos António da Rocha

****

Esta tradução é de livre utilização, desde que a sua ortografia seja respeitada na íntegra porque já está traduzida no Português do Novo Acordo Ortográfico e que não seja nunca publicada nem utilizada para fins comerciais; seja utilizada exclusivamente para uso e desfruto pessoal.

Sem comentários: